quinta-feira, 16 de julho de 2009

ALEF

Atenção!!! SILENCIO POR FAVOR...
Chegou o alef, tente senti-lo, agarra-lo, percebe-lo. Ele é puro silêncio. E é no silêncio que tudo se integra. Por isto ele é 1. E o 1 é a Divindade. E o 1 é o casamento, resultado final da correção de tudo. O casamento entre o homem e D´us, entre as partes. Mas um casamento onde existe algo que liga as partes, ninguém deve se unir diretamente, senão dá explosão.
Alef é 1 e 26, e 26 é o seu segredo. 26 é a numerologia (guematria) do tetragrama = IHVH. Alef é yud + vav + yud = 10 + 6 + 10 =26. O yud superior é o que há de mais alto, o que é Divino e oculto, o Criador, o Yud inferior é a imagem e semelhança do superior, aquilo que é revelado. E no centro a coluna do meio, o Vav, o gancho, o conhecimento da Tora, as leis, as mitzvot (conexões). O processo que transforma um no outro, ou simplesmente liga. O transcendente e o Imanente.





O alef revela as nossas partes, traz a verdade na palavra Emet (alef, mem, tav = verdade em hebraico), é a humildade do silêncio. Quando alef se apresentou diante de D´us, segundo o Zohar, calou-se, sem nada para falar, com isto alef não é a primeira letra da Tora, mas a primeira letra do alfabeto. Um mundo criado com a letra BET (segunda letra), tão cheio de palavras e barulhos, não consegue honrar o alef. Mas os 10 mandamentos iniciam com a letra 1.
Alef é aluf, líder, chefe; alef é echad, um. É anoki, o eu divino, é Elef, que é mil em hebraico. E são tantos Nomes de D´us = Eloa, El, Al, Elohim, Adonai. O próprio Ein Sof (nada absoluto). Mas deste Nada (ain) surge a terra (adama) do fogo (esh), que nos traz o Ar que respiramos (avir).
O alef nos desnuda aquilo que realmente somos, aquilo que nos é da essência, fundamental. A unidade do quem EU Sou. Tudo volta para o 1. E do 1 surge tudo.
Mas alef é Aluf, o boi. E o que o Boi tem a ver com tudo isso? Ele representa o que existe dentro de nós, a parte da Terra (adama), que constrói o Adam. A nossa força de existência.
O alef é o mago do taro, aquele que canaliza as forças superiores e atua através delas, usa sua inteligência espiritual, vê mais adiante, pois usa do silencio e da unidade. É preciso estar inteiro, intero para agir com as forças espirituais, para ser um cabalista.
Ela está ligada ao enxofre, principio solar, vontade e motivação. É a compulsividade. É uma substância onde tudo está contido, é água, alma e óleo. É a luz da natureza. É a substância misteriosa, que transforma.
É a potencialidade sem realização material, pura energia – designo Divino. É uma força que nos utiliza de forma inconsciente como instrumento de D'us. É o primeiro estado do Fogo (semente). Esta letra é o rosto oculto do sol (Kether). Ela é vida-morte-vida, a força que destrói toda a cristalização.
É a letra que simboliza o ato anterior a toda a Torá, o ato anterior a criação – O silêncio, ela é uma letra muda, como o H, representa a necessidade que tens de aquietar a mente e o coração, é o momento de inspiração, é a conexão da vontade com o restante do ser. É a captação- recebimento. Alef é a primeira sefirá (keter), oculta, serve para receber de D'us. Ela sabe que deve refrear a luz, para não subjulgar a criação. Keter é luz, mas é total escuridão quando comparada à Infinitude.





É o silêncio, o principio do equilíbrio, é a harmonia alcançada através do processo criativo. O silêncio que precede a ação.
Sem alef não haveria nada, e tudo em nossa vida se reequilibra com o alef atua, o silencio entre as pessoas, a possível separação, mas alef não separa, só une, une o céu com a terra, as partes diferentes, que parecem não se encontrar. O seu centro, vav, liga, pois pede sabedoria, consciência, resistência, cortina.

Nenhum comentário:

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...