terça-feira, 18 de agosto de 2009

Ensinamentos...


“Se você leva a sua vida de acordo com o que faz sentido para você, você nunca terá certeza de nada. Assim como a mente é boa em encontrar soluções e respostas, ela é ainda melhor em achar perguntas e dúvidas.
O caminho da Torá é aprender e deixar que a Torá entre para te ajudar a raciocinar com as verdades que você aprende, até que sua mente, coração e ações são guiadas por uma voz que não tem segundos pensamentos.”


A kabbalah diferente de outras linhas espirituais, busca entrar em conexão com energias superiores, a Fonte maior para que possamos ter uma vida mais prospera, mais plena. Trazemos a luz, pois ela nos equilibra. Para isto necessitamos nos purificar diariamente das energias negativas. Estas energias estão em todos os lugares e todos os momentos, aparecem com as energias reativas.
Caso você perceba que está reativo, impaciente, explosivo, impulsivo...sem controle de seus desejos, então estás REATIVO, em ti paira a energia “negativa”. Através do controle da mente podemos transformar esta energia em PROATIVA.
As orações, a leitura da Torá, meditações, o estudo, banhos, o dialogo com D'us são formas de encontrar o equilíbrio.

Se o homem trabalha sobre si mesmo para direcionar e controlar seus desejos e pensamentos ele alcançará o nível de desejos e pedidos dos autores do livro de orações, os membros da Grande Assembléia.


Os 613 desejos da alma se dividem em 248 desejos positivos, através dos quais o homem pode adquirir uma intenção “li shemah”, e 365 desejos negativos, que o homem não pode usar, para ganhar uma intenção “li shemah”. A diferença entre os dois desejos não tem nada a ver com intenção. Em ambos os casos a intenção é naturalmente e exclusivamente “voltada para o Criador”. A diferença está no poder do próprio desejo: se o desejo é fraco ele não despertará prazer intenso. Porém, esse desejo capacita a pessoa a sentir a ligação com o Criador. O prazer que se sente é chamado o prazer de doar sem restrição. Isso quer dizer o desejo de agradar ao Criador, já que somente é possível agrada-Lo recebendo Dele. Mas já que esse desejo não pode ser sentido com intensidade suficiente, ele não pode doar realmente ao Criador. Esse desejo existe somente no nível de equivalência de forma com o Criador.
A Kabbalah ensina a correlação entre causa e efeito de nossas fontes espirituais. Estas fontes se interligam de acordo com regras perenes e absolutas objetivando gols maiores - o entendimento do Criador por todas suas criações que existem neste mundo.

Um comentário:

Dimítrius disse...

Olá.
Eu estava pensando no que tu falaste pra mim hoje: ´CUIDADO`!
Foi quando falei em justiça, então, lembrei deste texto. Principalmente o 1º e 2º parágrafo.
Que eu aprenda veementemente a percorrer os caminhos da Torá!

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...