quarta-feira, 23 de setembro de 2009


Cada um de nós constrói uma historia, cheia de dramas, sofrimentos e alegrias. A cada dia existe um novo desafio, diariamente somos empurrados pelos nossos desejos de estarmos sempre satisfeitos e plenos, queremos, na maior parte do tempo uma vida fácil, mas nosso verdadeiro motivo de estarmos aqui é pura transformação, logo, a cada vida um palco diferente, novos personagens, novas paisagens, novos objetivos, novas necessidades de sobrevivência.
Num olhar mais profundo somos caminhantes, de um deserto em busca de saber o que somos e o que se passa dentro de nós.
Como?, por que?, quem?..... são questões constantes.
Caminhantes de um grande deserto sem respostas definidas, mas sempre cheio de perguntas, emoções, tensões e pensamentos quase infinitos.
Caminhamos, muitas vezes com vontade de parar, desistir, muitas vezes cansados, sedentos, solitários. Na maior parte do caminho a única coisa que conquistamos são pedras em nossos sapatos e areia em nosso rosto. Cansados, com suor no rosto...caímos em desistência e neste momento, vamos mergulhando em nosso silêncio, entregues, saímos de nossa estrutura egóica, chegamos mais próximos de nossa verdadeira essência.
Orgulho, vaidade, medos e outros sentimentos que parecem segurar a nossa vida caem por terra a abaixo, e sentimos que algo em nós morre.
O cansaço faz aparecer dentro de nós um silêncio, uma paciência e tolerância, uma entrega de quase perdão. Este é um caminho que deve ser traçado com conhecimento, para que se chegue na construção de uma fé e confiança, que vem com a entrega.
Mas muitos outros caminhos existem, sem que se possa entrar no sofrimento ou numa caminhada sem rumo.
O deserto é um local sagrado, respeita aquele que o respeita, abre seus caminhos para aqueles que querem deixar com que ele exista dentro de si.
Hisbodedus, é a palavra hebraica que define a experiência do deserto, da caminhada, o tempo para si mesmos. Ela é uma técnica meditativa, que nos coloca num mergulho interno tão intenso, que afasta de nós os barulhos e a pressão do dia-dia, para que se possa retornar com mais força, maior centralidade, com clareza de idéias e objetivos. Muito mais do que relaxamento, através de sua técnica podemos nos sentir mais confiantes e relaxados frente à vida.
A cada dia, a cada hora podemos encontrar este espaço dentro de nós, a kabbalah traz as chaves para entrarmos nele.

Nenhum comentário:

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...