quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Vestir os Nomes

Existe na cabala um ritual chamado de “vestir os Nomes”, que tem dois caminhos, um através da vestimenta de um manto que possuía todos os Nomes de D´us, e outro, através de mantras e mentalizações o místico vestia-se com aquelas palavras e sons sagrados. Tudo isto lembrava e induzia externamente e internamente o individuo a concentrar-se somente na divindade, em aspectos de altíssima vibração.
Uma nova consciência era possível, até mesmo chegar a estados visionários.
Malbushin, é a forma como os cabalistas eram conhecidos, aqueles que se vestem.
Vestir os Nomes é incorporá-los, trazer para si, despertar uma identidade perdida em si mesmo.
Poucos sabem que está técnica tem relação com a Merkavah de Ezequiel, a penetração nos palácios celestiais. É um caminhos de entrega e dedicação. Difícil aplicá-la nos dias de hoje, no homem ocidental, inserido na cidade e em sua correria.

Nós, aqui, incorporamos em nossos espaços e faltas a identidade do outro.
Sim somos incompletos, incompletas, necessitamos a felicidade de sentir-se plenos(as), então não olhamos “ para cima”, mas seguimos no olhar preso a serpente que se arrasta no chão, olhamos para o chão, para baixo. Buscamos nos preencher com identidades mais concretas – a do outro. Um tipo de idolatria.

Nossa dificuldade está em lhe dar com o que é inconsistente e oculto. Isto nos exige demais, mais percepção, mais sensações e mais imaginário.

Preferimos o que está pronto. Não pensar, não fazer, não contatar a “loucura”, não criar, não abrir novos caminhos. Isto é o que a Cabala chama de robotização. Toda a sociedade joga com esta prisão, o inimigo satã (desvio em hebraico) sempre estará nos convidando para parar, não fazer nada, assoprará em nossos ouvidos o tempo todo os mantras: “ não adiante”, “ não tem como”, “ não estou pronto(a)”...e assim vai... ele nos fala silenciosamente, nem percebemos, mas funcionamos conforme as suas palavras.
E aqui estamos nós, presos no simbolismo de Mitzraim (Egito) – referindo-se a história do Êxodos (Bíblia). Mitzariam significa Egito, em hebraico e é uma palavra que também significa prisão, estreitamento.

Pois é, é preciso mudar a roupagem, vestir novamente os Nomes sagrados de D´us. Pegar as roupas originais. Enquanto me vestir das roupas dos outros, estou sendo contida por mim mesma!!

Nenhum comentário:

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...