segunda-feira, 13 de julho de 2009

Poderes da palavra


Você já pensou em pensar no seu nome como uma palavra, mas não qualquer palavra, mas uma palavra que veste uma alma, que podes ler e escrever, comunicar, expressar.
De um alfabeto que possui uma ordem, a ordem do mundo correto e equilibrado, saem letras que formam numa desordem um novo mundo, um novo individuo.
Adam depois de se arrepender colocou-se a meditar no alfabeto para ordenar o que o seu erro tinha causado – a desordem, o EXILIO.

Buscamos revelar a letra na cabala, revelar o nome, não por acaso D´us é o Nome – HASHEM, em hebraico. E nossa consciência do Nome anda pelos 4 mundos da arvore da vida – 4 níveis de consciência.
As palavras são AR, o Ar é o elemento da expressão e o AR não é nada, mas é o elemento que necessita ser corrigido, ele afunila a luz infinita do Or Ein Sof. O ar é levado pelo vento e o vento é puro espírito. E o ar provem do silencio.

A palavra justa necessita de um tempo justo.

Na cabala buscamos nos aproximar de D´us, da Luz e o nome é a combinação de luzes e cores, através da meditação em cada letra podemos provocar ICHUDIM, subidas e unificações.

Abraam era Abram e Sara era Sarai – Abraão ganhou uma letra que veio de Sara. Eles fazem uma correção em suas almas, mudam d enivel, mudam suas vestimentas. Não mudam o nome gratuitamente. O “i” de Sara (Sarai) é o YUD, valor 10, é uma letra masculina, divina, mostrava que Sara esta completa, preenchida, seu YUD dividiu-se em 2, formando 2 letras HEH (valor 5) = YUD = 10. Uma letra HEH foi para o nome de Abrão e ele ficou Abraão e Sarai ficou Sara. E assim, ambos, agora estavam com a letra da vasilha feminina, receptivos, capazes de compartilhar. Com isto poderiam ter um filho, seguir adiante, evoluir.

Diz a Cabala que sara ao trocar o nome não esteve mais comprometida com a serpente, com o desejo de querer só para si.

Mudar o nome é assim? Simples? A mudança é valida quando mudamos de dentro para fora. Mas num mundo em que prevalece os valores externos, as necessidades finitas...a mudança é tão finita quanto, tão ilusória quanto.

A palavra cura, a palavra enobrece, embriaga, seduz.
Rezar é falar com D´us.
Estudar é deixar que D´us fale com a gente. E assim nos convertemos num canal de sua voz.

Um comentário:

sandra regina disse...

Ao ler essa reflexão me dei conta do dever "ser" e do cuidado ao falar.
Lamnetavelmente fazemos mal uso da fala, levando o "outro" para os confins da mentira, falsidade, fofocas, juízos, enfim....destruindo o que o "outro" construiu com Amor, Dedicação e Compaixão. Parabéns pela reflexão e chamada de consciência.
Shalom!

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...