domingo, 25 de setembro de 2011



Adriana Finkelstein vai proferir uma aula de kabbalah na Fnac, desvendando os mistérios cabalisticos a partir das letras, palavras e livros... Para a Kabbalah o homem é um livro ambulante, cheio d ehistórias, desejos, impulsos, vontades que necessitam de letras para expressar sua energia.

Kabbala é a própria palavra na tentativa de traduzir as coisas ocultas.
Encontrar chaves. Letras, que formam palavras e um novo sentido , trazem uma nova ordem.
A palavra ordena, expressa , revela o oculto e o oculto é uma dimensão divina, ela é a ponte entre mundos.
É preciso exercitar a mente para traduzir com lógica cada sensação e percepção. Formando uma idéia una e coerente, assim como a vida.
É preciso encontrar a palavra própria, aquela que te transforma, aquela que te significa.

É preciso tornar-se poesia.

Dia 6 de Outubro às 19h30
Shopping Barra - Porto Alegre.

Entrada Franca
Aberto ao publico

domingo, 18 de setembro de 2011

Fome de comida x Fome de Shabat



Somos uma geração que carrega bagagens e bagagens de sofrimentos...voce já se perguntou o por que?
Somos donos de um livre sentimento – a falta e o desejo!
Mas aqui paramos, encarnamos e não sabemos muito bem o que fazer com estes dois aspectos que estão dentro de nós. Falta e desejo trazem Fome, uma fome de consumo, de ter, de colocar para dentro, sentir-se preenchidos... o impulso é tao grande, que enfiamos, compramos qualquer coisa, quem nos domina?
Nosso impulso que deriva da falta e desejo!
Estamos, como que vendados nesta vida, vivendo numa grande escuridão, nos movendo lá sei eu pra onde!?
Somos famintos, mas quem domina é o impulso que vem da consciência mais infantil, chamada de Nefesh. Contamina pela serpente a nefesh apenas quer, deseja! Como ela a base de nosso ser, pois nela estão os impulsos de sobrevivência, necessitamos transforma-la, para acordar outros níveis de nossa alma, evoluirmos.
A nefesh tem fome, tem faltas e no comando da vida, devora tudo em sua frente, busca satisfazer suas carências, mas nunca atinge a causa, a raiz da falta, logo, nunca se satisfaz, mergulha em angustias, confunde o bem com o mal e o mal com o bem, vive em seus impulsos e confusões, sem consciência estabelece relações com a vida se submetendo a culpas e julgamentos, constrói caminhos de auto destruição, por que só vê o imediato, vive o imediatismo, mas não olha para frente, não constrói. Escrava da aparência, fica a cada dia mais longe de si mesma.
Mas que fome é esta? Que foge daquilo que realmente iria satisfazer. Há fomes mais elevadas, fomes mais sutis, espirituais. Fome da alma, da essência que se é.
No comando da Nefesh fugimos de nós mesmos, deixamos de nos perceber, ouvir e seguir o coração, por que estamos envolvidos em julgamentos e baixa alto estima. Não temos coragem de nos encarar.
Há uma fome maior, que é a fome de alma, fome de shabat, lugar onde podemos recuperar a nossa essência, lugar, que é um tempo, Templo, onde nos reencontramos.
Na fome da Nefesh mais do que nos alimentamos, nos alienamos de nossas angustias que são domadas com boas doses de sal ou açúcar!
Há que haver espaço para o silêncio interior. Há que haver espaço para a oração que vem do coração, há que recuperar o lúdico, a fantasia, a criação que a alma traz.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

ah...e este tempo.....

Pouco tempo....tempo se cria...., mas mesmo assim, pouco tempo...muita coisa para fazer.
Aulas, estudos, atendimentos, telefones, visitas, seminários....muita arrumação...algumas coisas começadas e não terminadas.....
As coisas da mãe partindo... cruzes! Não fica nada!? É estranho... ainda me acho estranha diante da morte, partida....fica na mente da gente, nos sonhos, visões...é Ilógico!
Mas estamos bem.

Este é um ótimo período para arrumar a casa, tanto a de dentro quanto a de fora. Levantar poeira..ver o que está bem e o que não está.... pode só olhar, desejar mudar, mas nãos e preocupe como arrumar...confiar na luz e fazer as conexões para trazer a luz, vai transformar o dia dia. Trazendo situações em que a ação aplicada naquele momento irá (ou não!!) libertar daquele bloqueio.
No signo de virgem temos que aprender a ficarmos “virginais”, humildes, abertos, limpos, em estado de perdão! Prontos para sermos fecundados.

Para isto temos que arrumar tempo, tempo para pensar um pouco. Refletir.
A vida corrida, os desejos de consumo, as exigências do dia dia, as cobranças...tudo nos atrapalham para que possamos Parar um pouco. Por isto a espiritualidade....seguir este caminho é criar novos Ritos, novos hábitos, um novo ser dentro de ti.
A grande maioria segue de forma racional, só na cabeça, não no coração e nos seus atos....ser espiritualista não é só ser bom, cuidar do outro...mas fazer as coisas que nos fazem fazer o bem.

E vamos seguir, neste mês de ELUL, virginais, criando um espaço para receber.

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...