quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Palavras soltas numa feira....

Sábado vou a feira, vou recolher letras,
para formar palavras.
Sábado vou a feira, comprar verduras e frutas para fazer um suco de letrinhas.
Quem sabe construir palavras.
As vezes palavras mal faladas, mal entendidas...mal fadadas,
as vezes palavras poéticas, amáveis e sedutoras.
Mas sábado vou a feira pegar mais letras para contruir um destino melhor.
Entender D´us em sua fonética.
Palavras de criação.
Quem sabe não escrevo um livro, crio e recrio minhas emoções.

Tinha medo de perder as palavras, silenciar-me por completo...
e a vida me fez perder.
Agora volto para a feira, uma feira de letras, palavras e livros.

Um dia me vi como uma traça, devoradora de livros,
agora volta para a casa (o livro).
Volto para minha turma.
Lá com certeza não há silencio, não há palavras não ditas, medos não expressos,
impressões e sonhos escondidos.
Palavras soltas numa feira, recolhidas em tua sacola de palha,
espalhadas em tua casa.
Quem sabe eu, como traça, não serei levada para a tua casa!

domingo, 26 de outubro de 2008

BERESHIT...No Inicio.....


1º dia
Bereshit bará Elohim ET aShamaim veEt Eretz.....

· D'us cria o universo, a criação é o ex-nihilo (algo do nada) = contradiz a lei que não se cria nada do nada. D'us cria os céus e a terra (haShamaim),
· A terra era caótica (informe) e desolada. a terra era bohu e tohu
· As trevas cobrem o abismo.
· O espírito de D'us pairava sobre as águas. o espírito se move sobre a face das águas.
· D'us cria a luz - o sol e as estrelas - “Haja Luz”
· A luz era Boa, separando a luz da escuridão
· Luz = Dia, escuridão = noite - dia um.
· Amanhecer e anoitecer.


No principio (Bereshit) é a força de seus atos. E por sua própria vontade cedeu o homem. Deu aquele que é justo a seus olhos.
“No” é um local!, um inicio , e o inicio é com a letra BET, e com este Bet criou os Nomes Divinos, a força da existência. Berseshit -= Bara + Schit – e criou 6, 6 lados que se estendem e se expandem através da força criadora de um ponto primário. E daqui surge o nome de 42 letras, aquele que mantêm a criação.
Reshit é começo em hebraico, o ponto supremo e misterioso, a semente sagrada para a construção dos palácios dos Elohim. E o principio, é RESH, a letra da cabeça, do Rosh, e na cabeça nós temos os pensamentos. No Reshit está o ASHER, o vir a ser. Este é o D´us em movimento, que traz a luz, que é o seu movimento.
E este é o misterioso começo que expandiu tudo, no mundo do BET, e BET é Bait, a casa que está vá e vazia, recebe as sementes de Elohim, que é o limitador, rigor... é daqui que surge a idéia de que a correção deste mundo é através Dele...e Ele é o julgador. Um mundo de restrição e limites....ou você dá ou você recebe!

“O termo luz é hoje utilizado como radiação eletromagnética. O sol emite luz - radiação - que o olho pode ver (luz visível) - espectro de cores (arco-íris), mas também emite radiações eletromagnéticas que o olho não vê - luz infravermelha, ultravioleta, micro-ondas, rádio, RX...
Logo existe uma luz visível e invisível.
Antes a matéria existia como plasma, que é um conjunto de partículas de cargas positivas e negativas, e suas propriedades, quando carregadas, aprisionam a luz e a impedem sua livre passagem. = plasma aparece escuro. As partículas de plasma se combinam e formam os átomos. Quando formaram átomos a luz não ficou aprisionada, começou a brilhar e preencheu todo o universo. Esta luz tem propriedades particulares. Toda a matéria e vida originaram desta luz.”
A luz separada da escuridão, e o aparecimento do elemento de inteligência, o dia é a manifestação positiva, enquanto as trevas, a noite é negativa, mas as trevas é um alento para cada um de nós, pois Choshkn é CH (chet) = chai, vida e SHK que é latente. Nas trevas existe uma vida latente, a vida da semente de Elohim.
A luz traz o que estava oculto, mas é preciso escuridão para revelar esta luz. Ela carrega um significado oculto, a força de expansão superior que abre uma senda e produz de Si mesmo um ponto, um lugar de manifestação e contato com o Ein Sof, é daqui desta luz que podemos descobrir todos os mistérios da Divindade, mistérios da Cabala.
Adentrar na luz é descobrir as trevas e quem resiste as trevas chega na luz, no ponto central, que é o YUD, a luz superior mais pura que preenche toda a criação e existência.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

MEDIDAS


Qual a medida da confiança??
Qual a medida do amor?

Qual a medida de cada um de nós na vida de alguém?
Quando será que estamos demais?

Um dia você acorda e seus pensamentos estão lotados de idéias que dançam em sua cabeça, palavras de baixa estima, olhares que inventam coisas.
Quando a mente se intoxica, os olhos vêem o que a mente pensa.

Qual a medida para manter a saúde? O equilíbrio?
Quando estamos sendo demais, quando estamos invadindo é quando somos invadidas?

Qual a medida para que eu possa estar ai?...sem me perder em ti.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

...mais perguntas sobre a vida!


4) Ao longo dos anos, da historia da humanidade, as pessoas mais sabias, inspiradas, etc eram muito insatisfeitas, vemos isso em relatos, artistas, escritores, pintores, cantores, poetas, filósofos. Sentiam muito a falta de sentido, usavam drogas, se matavam, suicidavam, porque eles não achavam esse mundo tudo?

A insatisfação é uma condição humana e desejada, é através dela que fazemos nossos movimentos, realmente evoluímos. A questão é por que ficamos estagnados na insatisfação, por que ela toma parte de nós, como câncer que cresce e nos consome, até nos matar? A falta de consciência e o desejo de se manter parado, sem movimento, sem esforço é a melhor coisa que há. Vivemos sob o peso do corpo, das culpas, dos medos, de mudar a nossa condição, daí toda a negatividade ganha corpo e toma conta.
Por que isso? Falta de LUZ, falta de D´us, esta é a grande verdade, e nesta falta cada vez mais nos afastamos de nossa verdadeira essência, condição, mais do que animal ou humana...Divina!
Para a cabala temos diferentes níveis da alma, com a evolução e recebimento de luz, vamos ascendendo em nossa consciência até atingir a alma divina.

A idéia é quanto mais a fragmentação maior a dor. Você pode ter uma caminhão de conhecimento, mas se não consegue ligar o cérebro direito com o esquerdo fica complicado.
Existe uma letra no alfabeto hebraico, a letra lamed, o nosso “L”, lamed tem uma relação com a palavra Lomed, verbo aprender e ensinar, é tão interessante que os dois precisam estar juntos para ter sentido, e assim, a letra traz a idéia de aprender e colocar em pratica, de passar a teoria para a pratica, por isto ela é uma letra que traz movimento para a nossa vida!


5) Para estudar Cabala, ou em outras palavras (saber), o segredo das coisas, do universo, do TODO, do PORQUE, desde o original, ao básico de viver, de ir buscar o pão, ficar na fila do mercado, estudar, praticar esportes, é necessário o que praticamente? Receber TUDO que provem da cabala? Para saber, começar... iniciar e desenvolver é preciso o Zohar? A Torá? Os Códigos específicos? Os 72 nomes? Um instrutor (cabalista), porque parece muita coisa, muita informação, muito material..?


Fica para mima pergunta o que você chama de segredo? O que é segredo para você??? Para todos? Nosso ego quer o segredo de manter a juventude, de não morrer, de ganhar tudo de forma fácil...enfim.
Mas se falarmos neste segredo de cabala, podemos falar de que o segredo é SER SAGRADO, e ser SAGRADO é entrar no SEGREDO.
Para acessar este Sagrado é necessário D´us, é necessário adquirir sentido, propósito. Mas o tempo todo! E como fazer isso? Rezando, meditando e estudando diariamente, não tem mistério e nem milagres! E ao mesmo tempo quando colocamos isto diariamente, nos enchemos de milagres.
Para receber tem que estar aberto, merecer!!! Na maior parte do tempo estamos na posição de donos da verdade e isto nos tira da condição de estarmos abertos. Estamos sempre julgando a partir do nosso ego, também nos coloca na condição de estarmos fechados.
O Zohar é um livro para aqueles que já sabem e possuem conhecimentos e idéias de vários conceitos. De forma mágica ele funciona para todos, você lê não entende nada, mas ele esta ali trabalhando em sua mente, sem ler ele também muda muito a energia de nossas casas. Cada letra de um sábio emana tanta luz que não temos a mínima idéia.
Acho que nesta caso é muito mais importante você iniciar a leitura pela Torá.
Códigos, mantras, palavras, símbolos devem ser usados com os seus devidos cuidados, e com a instrução de um guia....SEMPRE....
Não acredito que as pessoas possam realmente entender a cabala sem um Guia, professor(a), facilitador(a), não só por que é muita coisa, mas por que grande parte do conhecimento e trabalho espiritual da cabala é espiritual, é oculto e simbólico.

6) Porque a maioria das pessoas que vivem vidas comuns, que parecem "cegas", "dormindo", na "prisão" dos sentidos, desejos, etc, que parecem escravas do sistema, normalmente parecem viver vidas "completas", "felizes.." .. "preenchidas"... Parece que quanto mais desenvolvimento, informação, inspiração, mais busca... mais insatisfação, e quanto "menos" mais alegria, porque esse paradoxo?

O que escrevestes é um resultado da ilusão, dos véus de nogá, é aparente esta impressão. Isto se dá pela atuação das forças de desvio, que chamamos de satã, um código para a força espiritual que atua contra a caminhada da consciência.
Satã nos faz ficar presos em uma consciência e a acreditarmos que aquilo é real e suficiente...até o dia em que nos deparamos com uma grande dor e insatisfação. Vivemos uma vida limitados a consciência da matéria e hoje estamos acordando para uma consciência mais elevada, espiritual.
Existe uma ilusão quanto a felicidade que não deriva do compartilhar, da troca, que é o que nos coloca em semelhança com D´us. D´us é o verbo, o movimento, a troca! Quando compartilhamos, nos abrimos, saímos da contração, do egoísmo, quando aprendemos a respirar corretamente estamos adentrando o mundo da liberdade, e cada vez que deixamos sair, algo entra, recebemos, e experimentamos um estado de prazer, alegria, agora permanente.

Como vivemos na consciência física, ela é a da aparência, baseamos todas as nossas impressões no que vemos, na aparência, na limitação das formas, mas não conseguimos perceber o mundo interno, a verdade. Estamos desconectados das realidades emocionais, mentais e espirituais, não percebemos o passado, presente e futuro, temos estes tempos de forma separada, não sentimos os acontecimentos, vivemos como vitimas!

7) A cabala fala muito de situações, ocorrências em que precisamos praticar de forma consciente, pro ação, compartilhar, amor ao próximo, etc. Porem como lidamos com situações mais especificas, mais profundas, de alma, de raiz, como obsessão, medo, trauma?

Da mesma forma, só que com Kavaná, intenção e consciência. A idéia na cabala é você perceber o que abriu espaço para que situações negativas aparecessem e poder transformá-las.
A ação intensa em cima dos acontecimentos, através do desejo de querer abrir mão da negatividade. Transformando o pão da vergonha através do compartilhar.
Uma das idéias interessante que a cabala nos traz é sabermos realmente aonde estamos? Aonde colocamos a nossa vida? A idéia de saber o lugar que estamos, nos traz uma noção de limites, limites que devemos dar para as emoções, as energias, os pensamentos. O Q eu abre para as obsessões, por exemplo. As invasões de energia em primeiro lugar precisam ser percebidas e percebidas de onde vem, e isto o cabalista aprende a fazer muito bem. Depois disto, devemos saber afastar através dos limites, da atitude, da doutrinação, e principalmente através de orações e pedidos de ajudas aos Tzadikim, os Justos.

8) Porque a vida parece não ter sentido? É comum sentir essa saudade do "LAR", se sentir de outro plano, outra dimensão, outro mundo... não material, não físico, não dual... ou isso é apenas fantasia que criamos nessa vida?

Por que vagamos, na sensação de solidão, em busca de algo que nem sabemos o que, daí consumimos o que nos oferecem, daí ficamos sempre insatisfeitos, pois nos oferecem coisas finitas, que só satisfazem na hora que recebemos e criam um curto circuito, uma explosão.
Afastados da luz, mergulhados no mundo dos impulsos do desejo de querer só para si e do egoísmo, não temos a mínima noção de coletivo e unidade. Estamos longe da luz, longe de D´us, estamos tão afastados de nós mesmos.
Não temos nem coragem de acessar a nossa própria alma, a nossa perfeição. É mais fácil ficar no estado infantil, colocar véus e não quere ver-se de forma honesta. É cômodo ser vitima!
A alma meus queridos, necessita de um lar, de uma casa e aqui é a casa da alma, o corpo, o mundo físico, Malchuth ( sefira que significa Reino). A saudade é uma lembrança do vinculo que tínhamos no Paraíso, é ela que nos faz fazer esforço para voltar para o estado de unidade.
Viemos de uma única arvore, somos um galho, mas D´us deseja que este galho se desprenda, saia da ligação com Ele para que sinta a falta e faça o movimento de volta e reconhecimento Dele.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

PERGUNTAS QUE TODOS FIZEMOS....



1) Porque temos depressão, de onde vem a causa? Essa depressão em si, vem de onde? genético, infância, medos, bloqueios, vidas passadas? A cabala tem uma explicação que abrange isso num todo, ou cada caso, cada ser tem sua própria depressão e isso é individual?

Vivemos longe de uma realidade verdadeira, mergulhados na consciência do corpo, ou o que a cabala chama de consciência da vasilha. A característica da vasilha é o desejo de atração, pois esta é a sua função. Devido o livre arbítrio a vasilha funciona independente, isto é ela tem um desejo intenso de atração, ou desejo de receber, com isto mesmo preenchida pela luz de D´us, mantêm seu desejo, e acaba por se afastar da essência, da luz. Este desejo acaba por criar véus que afastam mais ainda a vasilha da fonte, da realidade.. e ela se mantêm dom o desejo de receber, mas longe da essência, longe da luz, cada vez mais se volta para o mundo externo, da finitude, cada vez mais está presa ao mundo das aparências, dos 5 sentidos, do tempo espaço. Cada vez mais na falta.
Num primeiro olhar a depressão genericamente é uma falta de D´us! Uma falta de conteúdo consistente, de sentido, significado.
Olhando mais especificamente cada pessoa faz desta falta e vive ela de forma diferente. Alguns ficam presos ao passado, a alguma ferida, alguns chamam de tristeza de depressão.
A falta é algo normal e natural, necessitamos ter faltas, mas não podemos ficar estanques nela. Elas existem para gerar movimento.
Existem códigos, mantras e estudos que ajudam e milagrosamente nos tiram da depressão, mas sem uma ação convincente nossa , ela volta. Uma injeção de luz deve ser alimentada com uma ação importante de abrir-se para viver o tempo do hoje, acordar para suas potencialidades.
O medo de si mesmo também é um motivo de depressão, daí busco a luz fora de mim.
Para a kabbalah não existe um passado separado do presente do futuro.. é uma coisa só. É por causa da consciência física que achamos que as coisas estão separadas....
Quando falo da luz, imagine a seguinte situação: uma pessoa revê suas atitudes e descobre que está fazendo tudo errado! Imagine se a luz estivesse presente, ela teria energia de movimento, fluidez, não julgaria sem a consciência, mas sem a luz julga com a culpa. O que gera estagnação, e estagnação é depressão.
É claro que podemos ter uma depressão por seqüestro das cascas (klipot), que são estruturas espirituais/energéticas que nos afastam da luz ( podem ser obsessores, pensamentos negativos, energias, invejas, enfim...).

TRANSFORMAÇÃO = MUDANÇA DE DESEJO
Os cabalistas ensinam que nossa natureza possui o desejo de receber só para si, que a natureza do Ego e isto é o que nos separa da luz, da plenitude. O trabalho espiritual de mudança de desejo mora ai. A transformação não é apenas executar boas ações, mas transformar-se, desejar isto! Trabalhar para isto, quando mergulhamos na espiritualidade teremos acesso a energias que nos transformarão.

2) Porque as pessoas mais inteligentes, inspiradas, criativas, que tem lapsos, idéias fantásticas, instinto criativo, artístico, normalmente essas pessoas são mais tristes? Parecem mais deprimidas, mais inconformadas, tem um pensamento, sentimento mais de vazio? Como insatisfação.
Primeiramente é importante entender que existe um propósito em tudo na criação e que muitas vezes para que uma pessoa possa contrinbuir com aquela geração, ela traz um potencial em cima de uma estrtura aparentemente negativa.
Cada pessoa pode viver em realidades diferentes, incompletas. E esta é a idéia, o fato daquele ou deste possuir um grande potencial não significa de forma alguma que ele não tenha alguma falta, isto é, ele também está aqui para fazer o Tikun, conserto da alma. Todos nós estamos aqui para isto!
Quando tu diz ... “ Porque as pessoas mais inteligentes...” Verdade que você está colocando a partir do teu olhar e classificando-as de MAIS INTELIGENTES.... mais isto ou mais aquilo....ninguém é mais... ou menos..cada um tem o seu potencial, e necessita trabalhar para se desenvolver. As vezes a inspiração e a inteligência não significam desenvolvimento espiritual, melhora do lado que ainda está na escuridão.
Isto também reflete a idéia de que somos o resultado do TzimTzum, da contração da luz divina e da quebra das vasilhas, estamos fragmentados... partes de nós estão na luz e partes não.
Lembra que somos corpo e alma.... e os aspectos mais corpóreos estão mais afastados da luz!

Veja isto:

A LUZ compreende à ADAM ( consciência do Todo , o que chamamos de Zeir Anpin = reunião das 6 sefirot*)

HAVA/Eva =é Malckuth – a vasilha que RECEBE

São estas as primeiras estruturas criadas em nosso universo, a luz, a alma, a energia e o corpo, a vasilha que atrai...RECEBE!
*Existem estruturas invisíveis, são filtros e realidades da luz, ou ainda, níveis de consciência. (estas são as sefirot)

O que ocorre é que as “entidades” criadas, funcionam independente umas das outras após a queda do paraíso, onde existia uma unidade entre corpo e alma. A vasilha, o corpo, a consciência corpórea assumiu a direção das coisas!!!
Logo, todos nós temos que fazer o nosso TIKUN, conserto, que é transformar a vasilha que possui o desejo de receber só para si, pois corporificou com a queda, devido ao fato de não estar pronta para receber a luz, a consciência, desde então criou o Pão da vergonha.


O NÃO MERECIMENTO DA LUZ – PÃO DA VERGONHA

A vasilha com o pão da vergonha, possui cascas (Klipot) que não deixam a luz chegar e causar prazer, segurança, alegria, bem estar, felicidade. Como a luz não chega o desejo de querer para si continua na vasilha, logo ela EXPLODE = Shevitah Kelin = quebra das vasilhas. Pois possui luz, mas não compartilha. Ou simplesmente esta vasilha não evolui. Esta quebra é o que se manifesta em tristezas, infelicidades...sofrimento.
3) Porque temos, bloqueios, traumas, medos, temores, de onde vem e provem isso? Infância, vida passada? Tempos remotos? Ano passado? Como tratar isso, como mudar esse Bloqueio, trauma, esse pensamento destrutivo, essa associação a momentos, a situações de medo e temor, só "sabendo" cabala é possível mudar? Possível haver Cura?

A infância é um palco de manifestações e oportunidades de despertarmos aquilo que trazemos de vidas passadas para ser transformado nesta vida. Vivemos sob a lei da causa e efeito e do tikun (conserto). Quanto mais o tempo avança também vamos criando novas condições que estão sob a lei de causa e efeito.. está tudo encadeado.
Como estamos na era Messiânica, tempo de causa e efeito diminuiu, vivemos sob o tempo do julgamento, temos menos tempo de correção, precisamos estar mais atentos e sermos mais rápidos, por isto temos a impressão que o tempo corre mais rápido! Temos menos tempo para o “deixa disso...” ou “ vou arrumar amanha....” Não podemos mais perder tempo!!

Como mudar toda esta escuridão? A escuridão é uma oportunidade de altíssima revelação de luz, mas é preciso esforço, trabalhar para isto. A transformação do mental, emocional e físico. Necessitamos sair das cascas, retirar o pão da vergonha, despertar o merecimento!
O que fazer aprender a compartilhar.
Mas para isto você tem que entender o que é compartilhar!
Precisamos aprender a merecer, amar, perdoar, gostar de si mesmos.

A cabala é o caminho, mas muito mais do que estudá-la, você precisa entende-la, para isto se faz necessário que ela é um conhecimento da tradição oral, você necessita de um Guia, um mestre que possa lhe ajudar. A conversa, a dinâmica mental vai alem das letras escritas em um livro. Para entender cabala é necessário aprender a ler entrelinhas. Cabala é um modo de vida, um exercício diário de mudar teu foco, tua relação com a vida, contigo mesmo e com tudo na sua volta. Sair das respostas ato reflexo (reativas), da ansiedade para um estado de controle e transformação (proativo) não é algo tranqüilo e fácil, mas é impressionante quando vemos os resultados que isto nos traz.
Acredito que a cura seja possível, a partir da consciência e auto controle, mas para isto é preciso paciência e dedicação.
É preciso saber se depara com as próprias sombras, os monstros que criamos, saber combatê-los ou devolve-los para os seus devidos lugares.

A SINDROME DA TRISTEZA

Ela é uma realidade do ser humano, um estado que deveria ser passageiro, uma vestimenta e não um corpo, que podemos trocar no momento em que não nos sentimos mais confortáveis. Ela é o contato com a falta e o vazio, nos coloca num mundo de escuridão, que pode estar recheado de muito caos (... e a terra era vã e vazia... – Tohu veBohu). Na desorganização a luz não entra, não entrando, a alegria não faz parte. O vazio nos engole, como uma experiência de morte, que tanto tememos, então evitamos experimentar este vazio, ficamos estáticos num “limbo”, nem lá, nem cá. Como se estivéssemos na escuridão, no mundo das imperfeições, imobilizados, penetrados por este desejo não cumprido e a impossibilidade do mesmo de ser cumprido no momento que a nefesh( a alma animal) deseja. Na tristeza não se abrem possibilidades, não se visitam outros mundos. Quanto mais mergulhamos para baixo, mais nos conectamos com o mal, com as complexidades e redes que nos prendem, maior é o numero de restrições, mais atraímos a ignorância.
Este mal, esta tristeza pode ser consciente ou não. Quando consciente nos traz um grande crescimento, um movimento de força e forma, levados para o centro, para a unidade gerando uma grande transformação, mas não sendo consciente fragmenta, faz com que o caminho seja construído sem uma direção, uma kavaná. Atuando como unidades separadas, esquizofrênicas, trazendo um ser dividido, possuído pelos próprios conteúdos do inconsciente. Esta é a coluna da esquerda que se sobrepõem, trazendo destruição, pessimismo, abandono, tendência favorecida pelos ataques do tempo, contrariedades e ignorância. Ficamos presos cada vez ao prazer momentâneo, a ilusão, e cada vez mais mergulhamos na amargura.
A tristeza pode nos colocar em contato com mundos sem a coluna do meio, mundo onde habitam hordas cósmicas que trazem o amargor, na verdade estes satisfazem a uma finalidade, a de purificar, decompor os elementos mais básicos. Mas aqui apenas encontramos um estágio, na qual não podemos ficar estagnados, senão fica-se preso as forças de baixo que consomem muita energia.

A tristeza é um estágio, passageira, na medida em que abraçamos esta condição, na medida em que tomamos parte das águas amargas (marah) que o sacerdote oferece para a mulher (feminino/corpo) impura, que traiu o marido (masculino/alma) (Números/Bamidbar: Nasso 4:21-7:89). Um amargor que só encontramos no coração que abarca o movimento de satisfação-insatisfação, ao encher e esvaziar os átrios e ventrículos (vazio). Experimentar o amargo é viver a tua própria tristeza, as tuas insatisfações, onde há algo que não esta completo, não está perfeito, onde há alguma parte em ti que ainda habita o Egito e pede para sair da escravatura. A saída só se dá com a esperança e confiança que temos em D'us.
A TRISTEZA É A FALTA QUE TEMOS DE NÓS MESMOS

sábado, 11 de outubro de 2008

MILAGRES E MAGIAS


Bem vindo ao Mundo dos Milagres e da Magia!! A Kabbalah.
Pois bem, é assim que todos a percebem, um instrumento tecnológico para suprir as satisfações imediatas!!! Hummm....ledo engano para aqueles que a procuram com este objetivo, para aqueles que com o seu desejo de querer para si, bebem de sua fonte.
Isto seria exoterismo e o lado profano da espiritualidade.
Kabbalah nos leva a um caminho de sabedoria maior, a partir de transformações internas, onde libertamos o poder da mente sobre a matéria, da alma sobre o ego e do espírito sobre o físico. Sair da escravidão que nos encontramos não significa para a kabbalah renunciar o mundo físico, mas eliminar seu controle sobre cada um de nós.
Por isto a kabbalah nos ensina a sermos donos de nosso destino, a partir da retirada de véus que não nos deixam enxergar a verdade de nossas vidas, do quanto estamos sob o controle de elementos externos e pequenos, considerados sem luz.
Seu trabalho é continuo, aquele que entra nos seus caminhos terá uma nova rota em sua vida, pois o desenvolvimento da alma e do corpo é algo constante. Necessitamos alimentarmo-nos de sabedoria constantemente.
A Kabbalah não elimina os seus defeitos, a sua humanidade, você os transforma, diminuindo cada desvio e negatividade a partir da consciência das leis, do propósito de vida, do servir a D´us e a partir da consciência de si mesmo, do bem e do mal. Você também não mata o mal, mas transforma-o ou afasta-o de sua vida! Não se aprende a ser “bonzinhos”, mas a sermos seres humanos melhores, a cada dia.
Os véus não nos deixam perceber e separar o “joio do trigo”, nos envolvemos com a vida de forma reativa, julgando a tudo e todos, criando, assim, mais cascas e negatividade, vivemos sob uma grande pressão, que chamamos de pressa!.
Seu maior instrumento é fazer você buscar dentro de você, a sua força motriz e não mais fora, criando uma direção e concentração, conscientizando seus desejos e suas potencialidades, através de rituais e meditações.
Existem magias e milagres!!!?? Sim é claro que existem, mas o que buscamos são magias e milagres permanentes e que geram luz para todos, que tragam evolução e não disputas, raivas, ódios.. que perduram décadas e décadas espirituais.
Normalmente o que as pessoas buscam é uma magia que independe dos outros, que o mais importante é salvar a si mesmo.
É impressionante o numero de pessoas que cobram isto de mim, or rituais e as formulas praticas e mágicas. Kabbalah é uma tradição puramente oral, então muitas destas magias só se passa ao vivo, na conversa, na fala e não para todo mundo, pois nem todo mundo está em condições de fazer de forma correta. A grande maioria você fala, passa as magias, mas é incrível, não escutam, não entendem, não percebem. Então daí é que vem a idéia, a maioria não esta com os ouvidos preparados, os olhos sem véus...até mesmo para ver os resultados da magia.
Kabbalah é magia, magia o tempo todo, mas para a magia dar certo você tem que sair da escravidão. Sair das suas angustias.
Através do seu estudo entendemos o por que disto, das energias e vibrações que nos desviam e deturpam, das conseqüências de nosso egoísmo.
Mas não adianta queremos magia para resolver as coisas egoístas.... queremos magia para ficarmos ricos, ter o amor de nossos sonhos...mas nem se quer estamos prontos para ter tudo isso...pena, pois assim como quem ganha rápido, perde rápido.
É preciso transformação, para saber usar seus códigos, suas meditações, seus mantras e orações, é preciso sabedoria para chegar aonde quer!
Kabbalah é uma aproximação com D´us.....e daí todas estas magias...aonde ficam?

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Efeitos da Vida.....e a kabbalah

A cada dia mais ideias me atormentam, questões pessoais, duvidas, dores, desdobramentos de situações, passado e presente se encontram.
Uma vida diaria de rotinas e buscas, parece que não saimos do lugar!
Minha dor já não existe ocupo meu tempo com a dor do outro, quanto mais o tempo passa, decobro que a paz de espirito está nisto, num compartilhar interminavel, no silencio do eu, não um eu passivo, mais um eu que vive em paz, em silencio. Não há mais tempo para a minha dor, a dor do ego. E quando chegamos na dor da alma, a dor da alma é a dor de todos.
Derrepente a familia é ego, os desejos são puro ego.
É estranho, mas bom.
Muita coisa perde o sentido, mas não devo perder o sentido de direção, nem enlouquecer, mas enloucrescer. Tudo é experiência, são fases, são momentos, limpamos as energias mais pesadas de nossas vidas assim.
Quantas coisas fizemos erradas?, que num certo momento de nossas vidas nos ligamos em relações falsas, desviadas. apostamos na sombra, naquilo que não troca, não cresce...seria um karma? ou apenas um desvio, um véu?
O quanto nós estamos falsos e desviados neste mundo. Karma e véus.
Intoxicados pelo veneno dos pensamentos e desejos diarios, pelos medos, pelas culpas e não merecimentos;
É preciso reconhecer aonde estamos para saber sair.
kabbbalah não é magia, mas ao mesmo tempo é magia, para aqueles que mudam o foco, para aqueles que começam a ver que existe uma realidade ...ou muitas realidades paralelas.
Imagine que voce poderia num CLICK muda-las... mas é isto que ocorre, só que a diferença é que não temos o controle disto, quem tem? o outro, as outras sitações, tudo que está fora de voce.
Pequenos olhares, palavras e pensamentos... mudam a tua realidade, da alegria para dor.
E dai passamos a viver naquela realidade, atraimos mais e mais desejos perniciosos em nossa volta.....

Bem... aqui está a base do Filme o Efeito Borboleta....... mudamos nossa realidade, mas alem de mudar a da gente mudamos a de todo o resto......

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Apertem o cinto....a bolsa caiu....



Um mundo novo começa a aparecer, mas é preciso empurar para baixo o velho.

Tudo que é contruido com base no egoismo, com base no desejo de querer só para si, vai por agua abaixo. E a globalização, tão taxada é o que vai salvar os bolsos e as bolsas....

Apenas a unidade poderá salvar, atraves de uma consciencia de compartilhar.

Mas até lá... cada um será abalado na sua base, sua fé, sua confiança.

Ainda somos muiito materialistas.... sem materia, $ nãos e vive..... e com certeza!, mas é preciso ser mais licito, mais limpo.

Individualmente não se desesperar é fundamental.... a base de valores é a espiritual. O Pânico é um sentimento a parte dos acontecimentos, o caos é o desejo da morte. A desestabilização só acontece para quem é pobre, e pobre daqueles que dependem só disso, pobres daqueles que não encontram dentro de si a força e o poder de fazer dinheiro.

A coragem para enfrentar os desafios.


Deixo esta foto...esta pequena garça, que é uma graça apareceu junto da gente no dia do ritual de Tashlich, de limpeza das impurezas, junto com os peixes, a aves simbolizam os seres dos ceus - arcanjos.



Periodo intenso


Este periodo de Festas é sempre bem intenso.

Atividades internas e externas.

Sempre nestes momentos aparecem as energias que se encontram em desajustes, e que não só rituais organizam, mas atitudes.


Agora é a hora de ver as faltas, os desequilibrios.

Trabalhasse demais, pensasse mais ainda.... sobra pouco para não fazer nada, sobra pouco para o amor.


Em tempos intenso a alma grita por este silencio, por cura, por paz.

Mas estou comprometida com o outro que dentro de mim ainda lhe falta muito, não que em mim não falta, mas o que falta é a parte que está em ti.


tem muita coisa acontecendo lá fora...mundo financeiro despencando..assisto o susto e o pavor dos outros....me sinto tão longe disso, não que eu não tenha alguma relação com isto, mas vivo mais numa outra dimensão mesmo. Deixo estas preocupações para os outros...prefiro ajuda-los, ajuda-las, mantendo-os confiantes.

Tenham fé......

Só perde quem já perdeu....

Só perde quem nunca ganhou.....

Só perde quem é tomado pela culpa, pelo medo, pelo engano, pelo egoismo.....






ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...