terça-feira, 23 de setembro de 2008

PROGRAMAÇÃO GRATUITA DA ESCOLA


NESTE PERIODO DE GRANDES FESTAS A ESCOLA TRAZ VARIAS E VARIAS ATIVIDADES QUE TRARÃO LUZ PARA AQUELES QUE DESEJAM RECEBER!


ANOTE NA SUA AGENDA:


DIA 30 às 9h30m no LAGO DA REDENÇÃO

ao lado do café do lago

Ritual de Tashlich


Limpeza e purificação de nossas cascas no sistema cabalistico.

Caso chova a atividade será na escola.


A NOITE

JANTAR DE ROSH HASHANA - tem que reservar a cadeira

R$ 15,00/pessoa


4 de OUTUBRO - sabado

Shabat de retorno


atividades de conhecimento e meditações na kabbala

inicio às 10hs até as 12h30

das 14h30 às 15h30 - meditações

15h30 - em diante Estudo da Torá e Zohar

Torapia e Zoharpia

Capitulo: Devarim 31:1-30 (Deuteronomio)

Conversas e aprendizagem de Kabbalah.


DIA 9 de outubro - quinta feira

às 15h30min

Meditações de Yom Kippur


venha com roupas claras (brancas)

sapato de borracha

Conecte-se com D´us! Conecte-se com voce!


CANECARIO CABALISTICO

13 DE OUTUBRO - SEGUNDA

20h30min

As energias espiirtuais da casa
Sua casa é uma vasilha


palestra com Adriana Finkelstein


27 DE OUTUBRO - SEGUNDA

20h30min

Muitas Vidas pós a Morte
O que vem depois?






quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Passeio da traça


Passeio entre livros, folhas e letras que escapam de paginas tão coloridas.
Historias que se derramam entre meus dedos, letras que escapam de meu olhar.
Procuro algo, procuro saber...procuro “o saber”.
Respostas, para perguntas que ainda nem fiz.

Me encontro diariamente com a solidão,
mas hoje tive o prazer de me encontrar.
Em mim, relaxo da dor de ter respostas e de saber...

Letras e espaços em brando me fazem viajar, sair dali e ir, não sei pra onde.
Mergulho em cada capa, desejo cada um daqueles títulos.
Me vejo escrava do tempo, que na me permite ler tudo o que quero.

Fui traça em outra vida, comia livros.
Me deliciava com paginas novas e velhas.
Tive o prazer de comer de A a Z, todas as letras de um livro.
Mas não comia qualquer livro.
Visitava prateleiras de livros antigos e novos, da filosofia ao misticismo.
Da administração aos livros de psicologia.
Devorei pouquíssimos romances ou historias de ficção.
Alguns livros de terror chegaram ao meu estomago, mas nem todos foram bem digeridos.

Evolui, graças a D´us!
Hoje não mais traça, traço os livros com a fome dos meus olhos e mente. Leio sem receio, vislumbro o que era tinta e espaço em branco. Agora sei a diferença entre o gosto forte que era tinta e o suave que era nada.
Muita virgula comi ( e ainda como), muito ponto final se terminou em mim. Agora mantenho a existência de um corpo de letras para sempre ali.

...dias de chuva....

Dia chuvoso, o humor nem sempre coopera. Hormônios funcionam conforme a incidência de luz. Em muitos dias nublados começamos a murchar, por isto é preciso estar acima dos hormônios, conectar-se com outra luz, estar direcionada.

Hoje acordei destruída! Rezei, busquei as conexões e pensamentos corretos. Percebi o quanto estava tomada por emoções que me fragilizavam. Resolvi ir atrás do que alimenta minha alma. Livros, bichos e super mercado...sim adoro super mercado...não necessariamente comprar, mas olhar as coisas, ver os produtos... enfim....sai para compartilhar e me ver livre do que não me pertencia, aquele péssimo humor, a sensação de total fragilidade.

Tamanha foi a escuridão, que acabou por revelar uma grande luz. Passei a tarde em estudos, o que me alimenta muito e mais ainda saber que outra pessoa também esta sendo alimentada. A noite, fui brindada com esta luz, mesmo ainda na dor, algo aparece, como um Tikun de um passado de relações mal fadadas entre mãe e filha. Alguns acontecimentos tão simples, mas que puxam uma rede tão grande.
A cada experiência e encontro, sinto colar pedaços de vasos quebrados, que a vida deixou cair no chão. É vivendo estas situações que percebo que aquela dor, aquele mau humos não valem nada, não são reais.

E não adianta me convencer do contrario... os melhores momentos são aqueles em que estamos trocando, estamos soltas (os), relaxadas, sem julgamento ...só no amor...na suavidade, sem expectativas.. e sabe por que sem expectativa?, porque quando a gente quer viver aquele momento ao Maximo, não pensa no antes ou no depois, apenas vive.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

APENAS CONTEMPLAÇÃO


A suavidade da vida vem em contraponto a sensações de mal estar, de desacordo interno e vibrações estranhas.

Já fui artista passional, dada a loucura, as sensações jamais explicadas pela mente, varrida por emoções das mais diversas possiveis, paixões possiveis e impossiveis, desejos proibidos, sacanas, inominados.

Dona de meu proprio nariz, brindada pela vida com a escuridão tão intensa que pude suportar toda a luz que me foi dada, ou emprestada...e até hoje cuido-a.

Compartilho e abro para aqueles que querem cuidar Dela, tornar a sua vida algo muito maior, mais significativo.


Quando paro, tranquilamente e contemplo a vida, contemplo meu dia de hoje e percebo o que se está fazendo, movimentando, as centelhas e os cacos quebrados que vou juntando, para desprender a luz, transformarmar e gerar consciencia, surge em mim um grande silencio, um sentimento de grandiosidade, de pertencer ao universo e mover pequenas fagulhasque fazem a diferença.


Hoje, antes de cada trabalho maior, como o retiro, tenho uma sensação de silencio, não mais ansiedades, desejos, mas apenas uma entrega para ser instrumento deste trabalho, que poucos, muito poucos tem o privilegio de experimentar.


Muitos tentam fazer alguma conexão mental com a gente, ... tenho pena, rezo por estes. Pouco aproveitam, pouco sabem, pouco são. Falta-lhes coragem para estarem lá e comprometerem-se com o que são.


Aprender a se entregar, relaxar, soltar-se de si... é muito mais COMPARTILHAR do que o entendimento de ser "bonzinhos".


DESPERTEM para a sua magia, sua verdadeira essencia, quanto mais puro fores, sem amarras com o passado, com pai e mãe...mais livres és...para simplesmente CONTEMPLAR!


CHAZAK

CHAZAK

CHAZAK

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...