sábado, 26 de abril de 2008


Tantas coisas possíveis
Tantas coisas impossíveis
Entrar no mundo espiritual é experimentar o infinito
Tudo parece ser permitido
Todo amor pode ser vivido
Alem de fachadas, alem de corpo

Experimento a entrega
Experimento o desejo mais intenso
Verdadeiro
Cheio de sensações como nuvens...
Como Sonhos...apenas sonhos...

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Contagem do Omer


Olhando mais profundamente o verdadeiro significado da contagem do omer, estamos literalmente faxinando a casa. Muita sujeira ainda virá, cada um de nós pode experimentar a cada dia, com a energia daquela sefira muitas visões, sensações, insights. A ideia é o que vier tem relação com aquela dimensão, mesmo que voce não ligue as coisas.

É muito comum a contagem trazer algum tipo de angustia. É comos e estivessemos arrumando armarios virtuais. É realmente libertador, passar o dia lembrando da energia, conectar-se com a necessidae de arrumar a casa, pedir ajuda para D´us e para os tzadikim (justos-seres de luz).

Cada dia nos libertamos de algum cativeiro.

Nesta semana de chessed - misericordia, amor, pensamos aonde deixamos as portas fechadas da nossa vida?? quem fechou? o que fechou? aonde minha mente emoção se vinculou e com quem se vinculou em dependencias que agora, minha vida está sem movimento.

Medite, conte, enumere seus dias....para libertar-se.

Em que mundo vivemos?


Quantos impulsos vivemos, quantos impulsos correm por nós.
Quem disse que somos evoluidos?
Fomos tomados por D´us para nos tornar seres evoluidos, sair do animal e pensar, conscientizar nossos atos e controlar nossos impulsos.
Matamos e esquartejamos diariamente de diferentes formas: fisicamente, emocionalmente e mentalmente.
Criamos uma sociedade que torna qualquer um doente e quando alguem adoece é esquartejado! Mas somos os responsaveis...
Expulsos de dentro de mim o verme que não suporto e ao coloca-lo para fora piso nele até que não sobre mais nada. Sou tão cruel quanto o verme.
Na kabbalah isto se chama Yetzer hara, mal impulso.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Palavras ao travesseiro


Meu travesseiro fala, sussurra, geme, treme com tuas palavras, que turbilham em minha mente, desmancham idéias, frases feitas, estruturas montadas de anos, mas que hoje não valem mais.
Meu travesseiro fala a tua língua, as vezes me sufoca. Tem noites que me deixa cheia de dores em meu pescoço, que duro em suas posições não se quebra para ver outro ângulo da vida.
Tem noites que tuas palavras acalantam as minhas noites, tornam ele macio, fofo, mas outras ele parece de pedra e me viro ao avesso para dormir e desmanchar meus sonhos nele.
Tem noites que me abraço nele e sinto a tua voz, as tuas palavras me envolvendo em carinho e acalanto.

segunda-feira, 14 de abril de 2008


"O olhar nos revela, nos apaixona e nos liga.

O olhar nos traz a lembrança de outras vidas,

na qual nunca mais viveremos na existência desta dimensão,

pois nela só cabe uma. A que escolhemos agora.

No teu olhar me apaixono pela vida.

Encontro forças e energia para estar acordada todos os dias.

No teu olhar procuro um outro olhar,

aquele que realmente poderei abraçar, alcançar.

No teu olhar me desmancho e nada sobra de mim."


Poucos sabem que os olhos guardam grandes segredos do desmanche do ego - bitul haiesh - e que quando vivido nos tornamos alma.

É uma experiencia impressinante, olho no olho que permite a entrega, que permite momentos de extase nunca antes vividos.

É impossivel ser a mesma pessoa depois disto. Mas aquele que olha e o que se deixa olhar ( que são os dois) precisam desejar-se, um desejar-se sem se quer tocar-se, mas um desejar de amar e admirar.

Os olhos pedem compartilhar, porque necessitam de sinceridade e pureza, só assim, adentramos no universo de Daath (conhecimento intimo).

domingo, 13 de abril de 2008


Palavras que chegam ao céu

escorrem de minha dor.

Chegam a ti para despertar teus braços,

para que me tome,

para que me leve contigo,

em teu paraiso.

Só quero ser preenchida,

estar segura, estar amada.


Ouve minha prece,

ouve minhas suplicas,

ouve minha dor.


Aguardo diariamente em minhas meditações

a tua voz, o teu sinal,

o teu vento, que leverá toda esta dor.


Apenas ouve,

esta prece.

Falando um pouquinho da condição cabalistica na vida, ou a condenação daquele que resolve mexer com a mais pura sabedoria.

Espiritualidade não é brinquedo, mas qualquer criança saberá respeitar e mexer mais do que qualquer adulto, que está imbuido de resolver suas "miquinhas" diárias e não as suas fantasias mais profundas.


"É somente a condição simbólica, poética da existência que pode amassar, trabalhar com a terra preta-vermelha, terra basica, princípios primários. Um amassar o barro para transforma-la em uma peça. Dar um objetivo, uma forma para aquilo que é informe, caótico em sua forma original. Assim tambem é o mundo das nossas angustias. É acessar os potenciais internos, deixando-se banhar por imagens míticas, simbólicas, trazidas por Hades, Plutão (deus da morte), pela origem que trabalha na terra (Keter em Malchuth), explodindo na consciência, gerando tanta energia psíquica, que não sabemos o que fazer com tamanho "fogo", tamanha energia, que acaba por ser expressa pelos canais físicos. vejam as crianças de hoje, tão inquietas, tão especiais, banhadas pelos conteudos internos.

Esta energia pode gerar uma reação, através da consciência, de luta, explosão da libido, daquilo que foi escravizado. Passado, presente e futuro se confundem, no caos da dualidade, o feminino e masculino estão separados, e esta fragmentação representa a origem, a quebra da ordem. Tanta energia, mas ela se perda, deviso a separação das partes que existe em cada um de nós. O contato com este universo traz algo de novo, mas quando encontramos a unidade, o casamento. Estes conteúdos estão coroados com um não sentido, uma não identidade, um vazio interior. Desconcertados diante de tantos impulsos criativos, coração e mente não produzem nada e nos levam a uma situação esquizóide, um curto circuito, uma possibilidade de grande destruição. A Loucura está habitada naquele. Ao termos consciência desta transformação que não ocorre fora, mas dentro, pode-se direcionar esta tamanha energia (libido) para a "cura", para mudarmos os "códigos", o filme da vida, para mudar a historia e alcançar o estado de equilíbrio. Centrados, podemos construir algo novo, nos deixando sermos remetidos para nosso interior, e assim ver os nosso dual, as duas colunas de sustentação (coração e mente), antes que a ruptura ou o colapso mental ocorra. Joseph Campbel, retrata bem, quando diz, "que as almas partidas mergulham no mar noturno das suas realidades, do qual nada conhecem e acabam aterrorizadas por demônios (plutão), divindades de poder espiritual, que quando não reconhecidas se tornam demoníacas e perigosas" - é um conectar-se com a auto-destruição, com o que o homem esta fazendo ao deixar vir, sem controle ou consciência o pior de si, os impulsos mais primários.

É o deus da morte que recebe e emana estas energias, pois dele vem a vida quando matamos o que precisamos matar. Descemos aos mundos mais profundos para fazer o que há de mais dificil em nós - desapegos afetivos.

Precisamos aprender a abrir mão. E a morte é o remedio mais amargo de nossas vidas!"
mexer nos elementos simbolicos requer responsabilidade, pois acordamos impulsos internos, que não são vividos conscientemente, mas projetados. É preciso um caminho correto, passo a passo, delicado para despertar do sono atraves da luz cada parte nossa.
Shalom

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Cabala da Alegria ou preparativos para o Circo du soleil


Coincidencia que o circo du Soleil vem com o espetaculo alegria.. seria a continuação do curso?Não pense que eu estou tirando sarro ironizando...é serio.
A entrada num mundo simbolico e magico que o circo du Soleil nos leva é algo impressionante, e com certeza para muito atingir o estado de alegria será bem mais facil!
A terceira aula foi barbara, solta, leve, engraçada. menos gente, mas as pessoas mais atentas, num exercico na tentativa de entender as palavras misticas que saem da boca do Bonder.
Já vi muitas aulas de cabala dadas por homens, e são todas assim, uma viagem numa montanha russa, onde somos levados no carrinho das palavras, que dançam em nossas mentes, nos tonteiam e derrepente não nos dizem nada, são tão estranhas que desejamos expulsa-las, mas acabam achando um espaço de descanso para se aquietarem e um dia serem digeridas e transformadas em palavras acessiveis.
Um grande exercicio do pensar que somos convidados. Pra mim é uma aula de professor para professora, uma aula de me encontrar comigo mesma, reconhecendo-me em meu exercicio de vida.
Mas mulheres ao darem aula são mais soltas, mais praticas, diretas....no meu caso, dou mais a cara pra bater, a mãe sempre é a culpada, oscilamos do rigor ao amor, mas este é o preço da educação. De qualquer jeito eu admiro e gosto muito do Bonder. Meu cerebro agradece, minha alma não tem nem palavras!
E nesta terça tivemos kniches de abobora ( não goiaba gurias!!!...ÔÔÔ cabeção!)..Uauuuu....todos comentavam de onde são tantas coisas boas... tanto alimento.. corpo e alma.
Noites perfeitas.....ma proxima terá varenikes....
rsrsr

no blog dos alimentos colocarei a receita dos kniches.
http://:alimentosparalma.blogspot.com/

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Aula 2 Cabala da Alegria


....segunda aula e nada de prozak....muitas guloseimas, aperetivos tipicos judaicos...maravilha, a comida reforça a minha identidade judaica, mas quando ela esta em meu estômago reforça tambem a minha alegria.
A cada encontro damos voltas e voltas em torno do centro do Templo. Casamos com diferentes niveis de reações a musica, as palavras do rabino, casamos com diferentes niveis de nossa anciedade...QUEREMOS A ALEGRIA.......mas sem sentir cada um recebe mais luz a cada volta, sem perceber estamos sendo contagiados de alegria e quem sabe chegaremos no êxtase.
Cantamos para ascender,
Cantamos para conectar com a alegria, mas o mal instinto (yetzer hara) está ali....desvia deste caminho, conversa, faz barulho, não fica atento ao momento mais ludico da aula.

Poucos sedão conta que a alegria nos faz ver tudo de uma outra forma.

Na alegria cada um de nós se desfaz das roupagens e torna-sea quilo que é...pouca gente esta tão pronta para esta alegria, poucos querem o trabalho espiritual(Avoda) para chegar no casamento. No meio do caminho queremos chegar logo ao gozo, sem aproveitar cada passo deste amor.

No trabalho espiritual ficamos um pouco cego, um pouco surdos e mudos.

Já não falamos, não ouvimos e vemos as coisas deste mundo.

Aquele 1% que tanto falamos na cabala.

Deixar os 5 sentidos de lado, transforma-los até se tornarem deformados.


O curso é um encontro de pessoas de diferentes niveis de entendimento da sabedoria, e esta mistura tem a sua beleza, a sua plasticidade.

Quando ocorre o coffe break a sensação que se tem é de alivio, parece que saimos da pressão do crescer, do pensar, para nos encontrar de volta ao instinto.

No blog alimentosparalma ei falo do Laiker - um bolo divino!!!!

vai lá....


terça-feira, 1 de abril de 2008


E nestes tempos de tanta tecnologia e racionalidade

ainda sou tomada pela paixão,
tomada pela visão mais clara, a cegueiera.
tomada pelo prazer constante,

onde me deleito com a alegria de ser amada e amar.
Preenchida por algo que posso chamar de luz
meu desejo é toma-la, a paixão, nos meus braços
adormece-la e transforma-la em alma.

af

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...