terça-feira, 31 de janeiro de 2017

TU BISHVAT - ano novo das Árvores

Em nosso calendário cósmico, cada acontecimento são chaves
importantes, que abrem portais internos para que algo novo possa vir a acontecer.
Todos os anos passamos por um dia em que concentramos nossas atenções às Arvores, à natureza, às plantas e neste dia nascemos com as árvores.

 Na tradição Cabalística encontramos uma base de tempo diferente do calendário  Ocidental (gregoriano). Um calendário marcado por acontecimentos cósmicos e que tem relação com aquilo que foi dado pela palavra Divina, que consta na Tora (Pentateuco). Todas as festividades e festas são marcos do tempo e o olho desnudo  não consegue observar os marcos astrológicos, cosmológicos e psicológicos que surgem. Com isto cada data representa uma oportunidade para fazermos grandes mudanças e transformações internas.
O calendário cabalístico é baseado na Lua e no sol. Os meses tem seu inicio com a Lua Nova, e seu auge se dá com a lua Cheia, isto é, o dia 15 de cada mês.
No dia 15 de Shvat estaremos comemorando o Ano Novo das Árvores.
Em várias passagens Bíblicas reconhecemos a importância das árvores, desde o
Gênesis, quando é colocado dois tipos de Árvores na frente de Adam e sua mulher, até os mandamentos, onde o primeiro dos 613 a ser praticado ao entrar na terra de Canaã foi: “E quando entrares na terra prometida plantarás toda a espécie de árvores” (Lev 19:23). D'us ainda adverte o homem: “Quando conquistares uma cidade, não derrubarás suas árvores” (Deut 20:19).
A Árvore tem acompanhado diversas mitologias e crenças, participando do mundo lúdico do homem, pois carrega dentro de si a verdade. O inicio, meio e fim.
Possui simbolicamente o desejo e a busca do homem em crescer a partir de uma semente (origem), e derramar seus ramos, folhas, frutos e flores.
 Neste período, no oriente médio, as chuvas cessam e dão espaço para que as árvores  e plantações brotem seus frutos, trazendo um novo ciclo.
 Dizem os Rabinos que nesta data as árvores são julgadas e seu destino é  determinado: quais viverão e quais morrerão, quais florescerão e quais murcharão,  quais serão destruídas pelos vendavais e quais resitirão a todas as tempestades (R. Henry Sobel).

 Kabbalisticamente, esta é uma data muito especial, não somente referente as  árvores, na qual devemos ter uma relação especial de “troca” e amor, mas refere-se  a cada um de nós. Somos constituídos de uma alma e muitos outros corpos, ou uma  alma que possui muitas expressões, e uma delas está ligada a alma vegetal e a  capacidade dela de “explodir” para a vida. É uma data que nos ligamos ao Divino,  na busca de confiança em ser uma árvore e a certeza de sermos uma semente. É um  novo ciclo que se inicia em nossa vida, onde os potenciais são as nossas sementes.






 Na Palavra Tu Bishvat, Tu é constituído das seguintes letras do hebraico: Teth (9) e Vav (6), que tem valor numérico igual a 15. Alude ao segredo do nome de D'us  (Tetragrama) = Yud (10) + Heh (5), que é o segredo da Arvore da Vida (Etz Chaiim) e o nível mais alto da  Criação – princípio da vida.
Esta é uma data que nos faz recordar da importância das leis ligadas aos frutos, do dizimo, da proibição de comer a fruta das árvores durante os seus primeiros 3 anos. A redenção das frutas (4º ano) e a Shemitá (ciclo de vida que cada coisa criada possui).
É comum entre os kabbalístas realizar o seguinte ritual: a ingestão de frutas
(12), enquanto entoam canções de louvor de agradecimento a D'us e estudam
porções da Tora e do Zohar.
Tu Bishvat nos faz estarmos mais consciente da unidade que existe entre Eu e a árvore, entre eu e a natureza, logo quando colocamos fora um semente estaremos desprezando uma vida, um potencial, de uma árvore ou nosso.
Neste dia cumprimentemos as árvores, abracemo-las e agradeçamos pela sua existência, a ela e a D'us, Bendito Seja Ele, criador de todas as coisas.

 
Baruch HaShem (Amem).



sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

“QUEM É UM HEROI? AQUELE QUE CONQUISTA SEU INSTINTO.
QUEM É RICO? AQUELE QUE SE CONTENTA COM O QUE TEM.
QUEM É SÁBIO? AQUELE QUE APRENDE DE TODAS AS PESSOAS.





Queremos melhora nossas vidas! Querermos prosperar e nos tornar pessoas melhores.....

Kabbalah é um conhecimento, um estudo que nos leva a UMA BUSCA de perguntas e RESPOSTAS, para conquistar um vida BEM MELHOR!

Kabbalah é o conhecimento da vida... um conhecimnento que revela, o que você, na maior parte das vezes já sabe, mas está escondido... por isto que Kabbalah é REVELAÇÃO.

Podemos escrever Cabala, kabbalah, kabala.... ela é uma palavra Hebraica que deriva da raiz – um verbo LECABEL – RECEBER.

Atraves dela podemos perceber e exoperiementar outras realidades e possibilidades da Vida, experiementamos a Divindade no Mundo. Seu estudo nos leva a dimensão interior da realidade, a sua dimensão interior. Ela traduz o metafísico.

A busca da Kabbalah é a revelação da Verdade e aproximação com a divindade – a energia  e inteligência de criação. E isto é o que chamamos de Ein Sof! (nada Absoluto – forma como na Kabblah chamamos D´us).

A base de seu conhecimento é a Torá e livros que derivam dela, através de grandes sábios e estudiosos – que atr5avés de uma leitura plena da vida RECEBERAM  o conhecimento, abriram sua mente e seu corpo para ir mais longe.

Descobrir os segredos de como tudo funciona é descobrir como agir e ser nesta vida!

A Kabbalah  traz respostas para nossas duvidas mais profundas, nos coloca no mundo da Lucidez, desperta nossa criatividade, nos tirando da escravidão mental. YTraz transformações significativas, onde aprendemos a ter outros olhos para a vida, ytrazendo confiança, fé e sentido.


COMO A KABBALAH VÊ O MUNDO

2 realidades – e tudo está acontecendo e tem um sentido na realidade que você não vê!  O que você vê é uma parte, limitada, e sempre a conseqüência.  

Entender e estudar esta realidade que não vemos é o objetivo! É o DESCORTINAR o Místico, o oculto... mas é oculto enquanto nossos olhos não vêem e nossa mente não racionaliza! (dá um corpo).

A dimensão interior é a dimensão oculta. Seu conhecimentos deriva da alma da Tora, ds espaços em branco... para captar o que está ali, necessitamos quebrar a mente apriisiionada em conceitos, adentrar nas múltiplas dimensões de tudo!
O livro, assim como a vida, está escrito em letras negras sobre letras brancas....
As letrtas negras – grifadas representam o corpo e as brancas representam a alma, a essência... nem todos veem.


Existe uma origem de tudo, ela é chamada de EIN SOF.
A Expressão do EIN SOF é chamada de LUZ (Òr)
E a luz se expressa por etapas imprimindo suas características em cada etapa, estas etapas são chamadas de forças, dimensões, aspectos emocionais da luz, aspectos da luz.... e são conhecidas como as sefirot.

No processo de criação D´us operou e,m 32 caminhos ( 10 sefirot e 22 letras hebraicas) – estes são os canais criativos e conscientes do processo da criação – estas formam todas as combinações possíveis e permutações com as quais D´us criou o mundo... com letras, palavras e frases.

 Elas estão em tudo...e nossa vida depende delas, comoórgão de um corpo, são faces, partes da criação , do Todo, de D´us.
 D´us para nós é Tudo e o Todo!

A Harmoonia e o bom funcionamento de cada dimensão e força, ou expressão desta vida nos traz harmonia... nós somos s árvotre e ela representa a nossa conquista espiritual e física!

A nossa harmonia começa quando unimos a realidade invisiivel com a realidade visível –a matéria e a espiritualidade, corpo  e alma.

MESTRES

Muitos foram os sábios que fizeram isto e nós buscamos traze-los até nós para que continuem seu tranbalho, compartilhando com cada um de nós sua luz, seus ensinamentos

Rabi Shimon Bar Yochai

Explicou cada parte desta vida e da vida em outros planos, recebeu e revelou o Zohar

Rabi Itzchak Luria (Arizal) – Ari HaKadosh
Explicou as etapas da criação
 O tzimtzum
Segredos das almas, propósito, a queda da alma de Adam
Retificação das almas – Tikun

Moshe Cordovero
Misticismo Sefarad



BalShem Tov – cabala de BeshtChassidismo

Focou mente e coração

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Mês de Shvat - 11°


A cada mês, os ciclos da Luz desce de diferentes aspectos divinos, chamados Sefirot, fazendo com que  possamos completar um ciclo de tikun através dos 12 meses, despertando e elevando as centelhas de luz em cada mês.
De Chokmah descm os elementos  criativos, a inovação, mudança e revolução. Dele as energias divinas acordam a constelação de Aquário e o planeta Urano-saturno, que derramam em nós uma chuva elétrica de letras, chaves para que possamos abrir as portas da libertação.
Aquário nos convida para o viver esta libertação através da luz, que evoca o auto conhecimento e a individuação. Este mês é conhecido por Shvat (shin, bet, teth = 300,2,9), ligado ao signo de Aquário (D'li), que corresponde a vasilha que irá conter a individualidade, as necessidades etéreas da alma.
Com as mesmas letras que escrevemos aquário, em hebraico (Dli –Dalet, lamed, Yud) também escrevemos as palavras (ialad) produzir, (ield) parir, (ilud) recem-nascido, o que mostra o quanto neste período D'us nos prepara para o novo, um novo mundo. Por isto a excentricidade, os seres promissores, pois é o aquário que traz novas idéias e captam as vibrações superiores do céu e da terra. Contemplando as analogias universais – vendo tudo diferente dos outros.
Neste mês, no dia 15 de Shvat, na Lua cheia, comemoramos o Ano Novo das Árvores (Tu Bishevat), isto torna este período um momento ecológico, onde nos ligamos a semente que necessidade brotar, mas para isto necessita encontrar condições para tal. Com isto, neste mês trazemos o segredo da semente, ligada ao numero 15, que é a união do masculino e do feminino. Neste mês necessitamos conhecer o equilíbrio entre as forças, pois aquele que está centrado pode retirar-se das suas escravaturas.
Neste período Aquário traz a consciência que surge das transformação da água, pelo fogo. Um ferver para transformarmos em vapor, mudança de estado. Isto significa que o mês pode trazer algum tipo de crise interna, onde rompemos com algum tipo de
sentimento que nos acompanha (medos..) e nos prende. Por isto temos a oportunidade
para nascer com  a nova semente, de TuBishvat.

É um período positivo para a realização de novos projetos. 

A Era de Aquário é marcada por esta energia, onde aprenderemos a enxergar as outras pessoas, trazendo um momento de união e compaixão para os nossos semelhantes –  unificação. Tudo será percebido como um elemento integrado, com isto traremos a revelação do Todo e da ligação entre tudo, isto é a chamada “consciência Messiânica”. Um período para termos contato com a oportunidade de corrigirmos os acontecimentos do passado (Tikun) e ficaremos livres do Satan e da fragmentação.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

PAÍS!!!!! PAROU...PAROU POR QUE!!??



E o País Parou......A aparente estagnação está assustando à todos!!
Sim... é aparente, pois esta estagnação está ocorrendo somente no plano físico,  e devido ao fato que nosso olhar está tão fixo nesta realidade, parece que tudo, absolutamente tudo está parado!
Para a kabbalah esta realidade é a realidade do 1% e tudo isto que estamos vivendo, também e obra da contra inteligência.
Nosso apego à fisicalidade e a construção de uma realidade somente voltada para a matéria é obra da contra inteligência.....

Imagina um mundo que foi criado com uma lente que vira tudo, inverte todos os pólos!
E agora a crise é uma mudança de pólo, uma mudança de lente, onde precisaremos ter um novo olhar.
_________________________________

Vivemos um momento de forte transformação, para quem quer e quem não quer...e para quem quer mudar a política, economia... deve aprender a mudar-se em primeiro lugar....isto é, tentar romper com o olhar tão envolvido com o externo!
Existem alguns conceitos dentro da Kabbalah, veja isto:
Somos responsáveis por tudo que vivemos.
O que está dentro está fora.
A realidade física é só um pequeno pedaço da verdadeira realidade, e esta realidade(física) é a consequência.
Vemos e contatamos externamente uma dimensão que está dentro de nós, mas ela aparece com disfarces, nuanças e “mascaras” colocadas pela contra inteligência (satã).

Para mudar precisamos adentrar a CAUSA! O mundo da causa.
E como toda a realidade está dentro de nós, através de uma caminhada em camada, pós camada, vamos chegar num ponto, onde nossa consciência atinge a consciência UNA, e toda e qualquer transformação do Eu é do coletivo! E a cada camada que adentramos, mais e mais teremos influencia sobre o ambiente.
Mas o que ocorre é entender o que este momento está nos dizendo, o que a D´us deseja?? As transformações são profundas, cirúrgicas, o que mostra que esta situação( país e mundial) não será resolvida tãooo cedo, pois ainda não despertamos totalmente a consciência!
Há um mal no Mundo, há, o mal do Egoísmo! Egoísmo que destrói! Mas todos nós temos esta fagulha de terror dentro de si. Desejos e impulsos, pensamentos e  sentimentos egoístas, que trazem a cegueira completa.
A Cada dia a Luz quer entrar neste mundo, quer entrar em nós, e a cada dia esta mesma Luz, mostra as verdades que estão na nossa volta e dentro de nós.
____________________________________________

A nova ordem é buscar a Fonte da criação, da abundância para nutrir o teu mundo. Para isto, precisamos entrar para dentro, encontrar no interior um novo mundo, novos caminhos....desejos....
Lembre: tudo o que vivemos é a nossa revelção da Luz...e o que estamos revelando?...por isto precisamos mudar o nosso desejo....para mudar o que estamos revelando.





quinta-feira, 5 de janeiro de 2017



Na Escola de Kabbalah aprendemos que existem dois mundos, dois níveis de consciência, a consciência da incerteza e a consciência da certeza. Em qual as pessoas se encontram?
Fala-se muito de consciência, mas o aluno, muitas vezes não consegue compreender o que é a consciência, e assim, não consegue abrir a porta da escada e começar a sua subida e transformação de "Consciência". 
 A consciência é a luz que existem em cada um de nós e que age em nossa mente, é ela que ilumina o cenário que as pessoas vivem. E cada pessoa tem o seu cenário, e dentro do cenário maior há muitos pequenos cenários, e cada cenário se apresenta conforme a luz que lhe é projetada. Aquilo que a pessoa vê, sente, ouve...interage, com os seus 5 sentidos  é o que está na consciência, neste momento.




A consciência do ser humano vê uma realidade, onde, na maioria das vezes está presa somente naquela possibilidade, naquele cenário, e assim, "Escravos fomos do Egito", e o nosso despertar através de AIN, LAMED, MEM.*



Consciência é estar ciente daquilo que os 5 sentidos estão interagindo. 
Agora imagine que existem outras cenas, outros cenários, mas que as pessoas não estão cientes, conscientes....estão até inconscientes! 
Imagine que existe uma força, uma inteligência que expõe e mostra estas outras possibilidades. Ela é chamada de Luz, pois é a Luz que mostra o que se encontra na escuridão, na inconsciência. 

Ok, agora estamos começando a compreender, o que a Escola ensina, pratica e lembra e relembra para cada um de seus alunos. Vamos além da motivação, além do conhecimento, além do além...pois é necessário plantar a semente que abre esta porta, e possibilita a seus alunos de fazer as conexões através da construção de uma escada que sobe e desce em diferentes realidades e mundos, pois o acesso à Luz é o grande trabalho, chamado de HavodaHaShem! 
E este é o segredo do povo judeu? Este é o segredo dos cabalistas....dos avatares...dos grandes sábios. 
E o segredo maior é a manutenção de uma nova consciência, a consciência da certeza num mundo onde a maioria tem a consciência da incerteza. 

E no final a pergunta que fica é como abrir estas portas? 
Como mudar a nossa consciência......?

___________________________




Agora você está entendendo os caminhos do curso A Semente da Criação - olham atziluth ( o mundo da emanação) , que inicia na segunda dia 9 às 19:50. 

Nele a Escola trará o conhecimento e as práticas para abrir estas portas. São conhecimentos que não são trabalhados pelas escolas americanas, mas espanholas, onde Abulafia, rabi Nachman e muitos outros. 

Participe deste momento. Agora é a hora! 
Conhecimento, entendimento e orientação 

Professora Adriana Finkelstein 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

AI QUE RAIVA






Existem sentimentos comuns e básicos...estão ali, dentro de nós, na espreita.
Há um Cain em nós, há um Hevel em cada um de nós.
Do Cain deriva nossas raivas, impulsos que sobrevêm da falta, das frustrações diárias.
A cada dia somos obrigados a nos sentir preenchidos, não há permissão para as faltas, as sobras. Não podemos esperar, não há permissão para aguardar, é preciso ser satisfeito imediatamente. Não há saídas, não há criatividade...é aquilo e fim......No final de tudo o que sobreveem é a raiva.....
Impulso que nos toma, posr não sermos satisfeitos....como Cain, é como se D’us não olhasse para nós, não aceitasse a nossa oferenda.
Raiva que se origina no fígado, morada do demônio e da sacralidade, Kaved em hebraico, igual a Kavod – Glória.
Impulso de sobrevivência e defesa, sentimento que aquece, calor e fogo. Que escondemos de nós mesmos.
Raiva que vem da ferida que sangra em nosso peito, por falta de amor, por falta de merecimento.

Raiva que temos de nós mesmas....e quanto mais raiva temos de nós , mais adoecemos, mais nos agredimos, mais doenças psicossomáticas, mais doenças auto imune...
Você pode explodir sua raiva ou implodir. Na maioria das vezes implodimos, pois é feio, fora de ordem, amoral explodir. Então deixamos a raiva implodir.

Quantas vezes me vi com raiva, mas nunca conseguia me dar conta que era raiva.
Quando as coisas não acontecem como eu quero, quando aquele parente, funcionário faz ou fala algo, ou não faz o que queríamos...dai me contraio, fecho.
Diz o Tânia, D’us criou forças que ocultam a força vital, estas são as klipot. E estas deram origem a Nefesh, a alma animal, instintiva que o corpo possui. E dentro dela encontramos 4 maus. 4 que derivam dos 4 elementos – fogo, ar, terra e água.
A cólera e orgulho derivam do Fogo, pois são energias que se erguem para o alto.

Raiva é idolatria. Raiva é o resultado de um corte profundo, uma separação dentro de si, onde o objeto desejado ganha uma importância fenomenal. Algo fora de nós está nos governando!!!

Precisamos pensar sobre nossas raivas, que contraem cada fibra muscular trazendo dores físicas, fechando para o recebimento de luz – bênçãos. A Raiva nos conecta com toda a falange vinda de Cain e sua negatividade.
É preciso conectar-se com o PERDÃO...e com o AMAR A SI MESMOS......

Está na hora!
Códigos que nos ajudam a combater a Raiva!





- Quando ficamos com raiva, o ritmo cardíaco, a pressão arterial e a produção de testosterona aumentam, o cortisol (o hormônio do estresse) diminui e o hemisfério esquerdo do cérebro torna-se mais ativo.
A conclusão é de um estudo realizado por cientistas da Universidade de Valência, na Espanha, que analisou as mudanças nas respostas cerebrais, cardiovasculares, hormonais e cerebrais quando ficamos com raiva.
“As emoções geram alterações profundas no sistema nervoso autônomo, que controla a resposta cardiovascular, e também no sistema endócrino. Além disso, ocorrem mudanças também na atividade cerebral, especialmente nos lobos frontal e temporal”, explica Neus Herrero, principal autor do estudo.

POR QUE CABALA?

A cabala em nossas vidas é algo mágico, traz de volta a magia que esquecemos, pois esquecemos de nos relacionar com o oculto, com a vida interna, com o sentir, perceber. Trazendo de volta a unidade e integração. Cada palavra sua é um código para a felicidade, um código que nos mostra como a vida acontece.
Seus instrumentos: O estudo da Tora, Zohar, sefer Yetzira e Bahir, entre tantos, representam uma porta para que nosso cérebro volte a contatar o símbolo, traga de volta a Essência perdida.
Meditações, orações, mantras, rituais constroem uma vida mais significativa, onde todos somos filhos de D´us, servimos a Ele, Bendito Seja.
Seu estudo nos mostra D´us muito mais próximos de nós, sacraliza a vida diária, não nos faz fugir dela, mas nos convida para uma vida melhor, mais rica e próspera.
A vida “lá” só existe quando construímos a vida aqui neste lugar, neste tempo e espaço.
É preciso esforço, um esforço para lembrar diariamente que diante de ti tu colocas D´us (HaShem), construir rituais, hábitos, símbolos que nos lembram e criam um espaço dentro de nossas vidas, para cultivar esta unidade.
Diariamente nos instrumenta para o combate, o combate do mal, do egoísmo, da morte, do sofrimento. Das tendências que temos a nos contrair, deixar chegar a negatividade, perder a auto estima, perder a paciência e o amor para com a vida.
Cabala significa recebimento, o recebimento da vida.
Como tu recebe a vida? Como ela chega para ti?
Mudamos os caminhos do cérebro para encontrar outras realidades, soltamos as tensões, soltamos as preocupações, pois criamos consistentemente a confiança e a fé num mundo oculto que está ali para nos ajudar. Criamos cabos de conexão com este mundo, lutamos contra o outro mundo, do mal, que nos tenta, nos desvia.
Caminhos cabalísticos em nossas vidas abrem para que possamos perceber a vida de uma outra forma, e assim relacionar-se com ela com outros olhos, e obter tudo de bom que D´us nos dá.

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...