terça-feira, 29 de junho de 2010

A FABILIDADE HUMANA




Qual o limite do erro? Qual o limite para o sofrimento? De onde vem para onde vai?
Onde realmente mora o caos?Onde realmente moram os nossos erros, falhas e pecados? Em que pé ferimos outra pessoa? Quando ferimos a nós mesmas?

Diz a Kabbalah:
“A pessoa sempre deve tentar se aproximar do Criador, isto é: tentar fazer com que todos os seus pensamentos se refiram a Ele. Isso quer dizer que mesmo que ela esteja no pior estado, do qual não possa haver uma grande queda, ela não deve abandonar Seu domínio, isto é, não deve pensar que há outra autoridade que o afaste de entrar na santidade, e que tenha o poder de beneficiar ou ferir.”

Toda vez que ferimos algo, ferindo a criação, ferimos a D´us, mas toda vez que possamos fazer um movimento que cause um movimento, que nos coloca para frente e nos liberta, nos aproximamos Dele.
Quando erramos e esquecemos que em tudo existe Ele, e colocamos outras forças, estamos realmente deixando com que existam outras forças e daí, afastamos de D´us.
Cada ação está acontecendo como resultado da ação do Criador, e tudo está em nossa recepção desta ação, reagimos, sem enxergar que é o Criador a origem de tudo. O que existe em volta de nossos olhos – véus.

Veja esta frase: “ Se a pessoa sentir que ela fez essa escolha sozinha, que ela é má e que ela escolheu não se mover adiante em direção ao Criador, que ela quis satisfazer a sua vontade de receber, ao invés de progredir para o desenvolvimento da vontade de outorgar, que ela estragou tudo, isso também é o pensamento de que ela tem algum tipo de autoridade. A culpa não é da pessoa. Não existe culpa. Não há responsabilidade na ação. A responsabilidade está na intenção, o que não quer dizer que a pessoa sai por aí fazendo ações que sabemos pela sociedade que são ilegais, etc. nós estamos falando sobre um estado interior, nós estamos falando sobre um movimento dentro da pessoa para experimentar algo para si mesma ao invés de manter o desejo de outorgar. Mas o desejo de se mover em qualquer direção é dado pelo Criador. O erro não é da pessoa.”

Concepções cabalisticas,... ainda somos vulneráveis a culpa, ainda somos sensíveis aos nossos erros, por que nos vemos tão longe de D´us, mais tomados por demônios, em ações erradas, emoções e sentimentos sem controle, verdades não faladas e largadas sem medidas. É preciso tempo para compreender as ações de D´us, a alma mais elevada em nós que nos joga na luz, nos aparenta um curto circuito, quando aquilo nada mais é do que revelação e libertação de luz.

No dia dia nossas ações estão voltadas para nosso egoísmo completo. E este egoísmo gera pensamentos e sentimentos, um vazio nos apodera e a cada momento vamos nos preencher e preencher ...e mais vazio vamos sentindo, pois cada coisa deste mundo não nos preenche....e assim, podemos chegar em níveis mais elevados. Mas muitas vezes ficamos presos nos níveis mais baixos, nos intoxicando de energias (pensamentos e sentimentos). A Ação de D´us, então é direta e dura, visando um novo movimento.

O que nos chega como sofrimento é algo de grandiosa luz.

Inspiração Divina


O lugar de todo o universo não é mais do que um unico ponto, na qual tudo está apoiado. (Rabi Zechar)
Que ponto é este, o Nekuda HaRishon, o ponto de inicio, que nada mais é do que o pensamento Primordial, o pensamento de D´us sobre a Criação.
Sim para a Kabbalah a criação inicia na mente de D´us, atraves de sua vontade e desejo de dar-se, criando letras, criando palavras e frases, que derivam dos espaços em branco.
Os pensamentos estão ocultos no ponto inicial, o Bereshit Bará Elohim, No Principio D´us Criou. E Ele está ali, esperando ser traduzido, ser extraido para uma direção ou outra, para o bem ou para o mal. E este é o ponto que é o começo da Vontade, uma fonte Divina, que é espressa atraves de uma linha, como se fosse um sussurro.
E este sussurro, a linha, chega naquele que está aberto - vazio - para receber. Mas nós não aguentamos os espaços vazios e necessitamos preenche-los o tempo todo, com barulho e coisas..e vamos nos coisando a cada dia, e não criando espaços para receber a inspiração Divina.
Aquele que recebe (Mekubal) é inspirado para a criação e movimento, tomado pela força de vida, compartilha em criação, em fazeres.
Sem paciencia, sem entender que são os espaços em branco, longe de nossa ansiedade que nos diferencial no meio de tanta gente comum. Mas mais do que ser comum, precisamos despertar esta capacidade de sermos a inspiração Divina, expressando nosso potencial que é colorir cada idéia e pensamento de D´us.

Abra um espaço para isto!

CURSO AUTO AJUDA pela KABBALAH
dia 8 de julho
às 17h30 - 2 meses
R$ 150,00/mes
www.escoladekabbalah.com

domingo, 27 de junho de 2010

Curto Circuito



Um dia bem, outro tanta confusão. Mas nenhuma confusão surge da noite pro dia, aqui vivemos a conseqüência da confusão, que começa no nível da causa.

Um dia na luz, na certeza, na verdade. Mas engano-me em viver na verdade, quando mergulho em confusão, confusão dentro de mim. Sem certezas, sem nada, sem uma linha de luz.
O que achava que era verdade e me segurava a cada dia ...era pura ilusão.

Hoje me retiro, peço demissão, como um técnico sem competência para seguir o caminho te guiando, te segurando, te guardando.

Hoje quem abre as asas e sai voando, sou eu.
Fazer meu vôo, em outro lugar.

O silêncio me corroi, o silêncio me constrói.
O silêncio vira barulho, o silêncio é a paz.
Um novo começo, deixar-te para traz,deixar-te em paz.

Apenas seguir.

quinta-feira, 24 de junho de 2010


Visitei as cartas, a cigana, o pai de santo, passei pelos astros, por videntes, tantos tarôs, búzios, terapias.....tantas cabalas, na busca de um caminho e respostas.
Nunca sabemos o que fazer!
Tantas respostas, tantos olhares.
E a resposta estava tão perto de mim.
Em mim.
Bem dentro de mim.

Os cabalistas dizem que existe um ponto atrás de teu coração (Nekuda aLev), e neste ponto estão todas as respostas. Trabalhamos espiritualmente para encontrar o caminho que nos leve a este ponto. Depois, trabalhamos para acordar este ponto.
Este é o ponto que contem todo o conhecimento, Lev na guematria tem o valor 32, 32 caminhos da sabedoria. Lev corresponde a palavra Coração e é construída com a ultima e primeira letra da Tora.

Não há alma sem coração. Não há Jerusalém sem coração.

Mas o coração nos trai.
Mas o ponto que existe no coração não!
Este é o ponto do amor incondicional.
O que se abre e se entrega, dele vazam todas as luzes divinas. Dele flui os caminhos, as respostas, que ao passarem pelo coração são as melhores e mais sábias para cada pessoa.

Procurei tantas respostas fora de mim, mas encontrei-as dentro de mim.
Há caminhos que a verdade faz, há caminhos que os véus de ilusão constroem, e normalmente seguimos estes.
Os caminhos de ilusão são imediatistas, cheios de portas fechadas, são as primeiras imagens e respostas que temos e reagimos a elas, ou melhor, agimos através delas. Nos levam a mágoas e raivas e acumulo de mais consertos (Tikun), logo geram grandes desarmonias e um “ neshgit” (mal estar em idish).
Os caminhos da verdade são mais pacientes, exigem mais de nossos impulsos e desejos imediatos, temos que suportar mais tempo nossa angustia, ou ainda ficar sem respostas. É um caminho onde os diferentes mundos estão agindo, não há negação das diferentes realidades (Espiritual, mental, emocional e física, que é só a conseqüência). Uma construção da condição de PAZ (Shalom), para chegar numa nova ordem, de unidade e transformação. Com isto a verdade traz muito mais luz. Só que nos parece ser mais sofrida, pois não ocorre no tempo do relógio.
O caminho da verdade nos leva a Teshuva, um encontro consigo, uma entrega, um arrependimento que vem com a consciência do que fizemos e fazemos, do que provocamos, a consciência de nossa dualidade, de um mal que carregamos e negamos a cada esquina.

sábado, 19 de junho de 2010




No mapa astrológico,a Lua Negra, ou Lilith, simboliza um lado secreto e obscuro de nossa personalidade. Identificar e trazer à luz esses aspectos é fundamental para cultivar o autoconhecimento e alcançar a paz de espírito. Para a Kabbalah ela foi a primeira mulher de Adam, condenada a viver nas profundezas do mar ( profundezas psíquicas), sua força era tão grande que se tornou um demônio, capaz de comparar-se a D´us. De forma nenhuma ela se submeteu a Adam, desobedecendo as ordens de D´us.

A personagem atravessou os milênios sob diferentes nomes, mas sempre tomando a forma de espíritos ou divindades destrutivas. Na Grécia Antiga foi associada a Hécate, deusa da Lua e, a partir daí, passou a simbolizar o lado escuro lunar, que, por sua vez, reflete a face oculta do ser humano. No mapa astral, o significado da Lua Negra muda de acordo com o signo que ela ocupava no dia do nascimento.
Ela tem dois lados – a destruição, o boicote e os talentos, a força. Tudo a ser descoberto.
Ela representa a individualidade através de princípios destorcidos, diferentes dos padrões de positivo e negativo – masculino e feminino.
Os conteúdos psíquicos simbolizados pela Lilith são muitas vezes interpretados como a raiz da libido. Outras vezes são percebidos como geradores de poderes paranormais, inclinação para a bruxaria, mediunidade, etc. Ela traz confusão mental e emocional. Ela representa o "inconsciente do inconsciente coletivo". Pode simbolizar também qualidades mediúnicas poderosas. Ela representa os conteúdos mais infantis, impulsivos e exagerados.
Com ela vivemos um momento de liberar energias vitais, esvaindo-se muitas vezes. Nos sentimos roubados por esta energia.
Algo de nossas profundezas pode estar sendo projetado e aquilo tirar a nossa energia.

Atualmente ela está entrando no signo de peixes e fazendo a conjunção com netuno. O que nos traz energias mais ocultas, espirituais, paranormais que estarão em nossa volta. O confusão, ilusão, manipulação, ambigüidade, dificuldade em lidar com a realidade, perdendo-se nela. O engano, por isto devemos ter bastante cuidados neste período. É um momento de intranqüilidades, mas para quem tiver concentração e não se perder nestas energias avassaladoras de nosso inconsciente, podemos revelar poderes astrais muito fortes. Estar incomodado nos leva a fazer algum tipo de movimento ou atitude que são importantes.
O que temos de positivo, existe uma força meditativa, de encontro com o silencio, com D´us e com o outro muito forte. Netuno pode diluir o poder da lilith e transcendê-la. Tirá-la das profundezas através de nosso acolhimento. Podemos entrar em uma viagem mística, que requer pés no chão!!!

O lado mais pesado é que esta conjunção pode trazer energias de desejo de poder não realizado, que vem do fundo dos oceanos, do cosmos tentando resgatar o que não conseguiu ou não tem. Lilith busca o olhar de D´us, mas pode ter a chance de curar as suas magoas e raivas de ter sido expulsa do paraíso!!
O que em nós foi expulso, colocado de lado?? Que potenciais que ficaram lá, calados e que agora merecem serem ouvidos – sentidos.

GAM ZU LE TOVA “ Tudo é para o bem. “



Esta é a nona letra do alfabeto hebraico, a Letra Teth, ela nos acompanhou em nosso último retiro.
De Volta Para Si, a TESHUVA, nos remete para dentro desta letra, o "a toca do coelho", onde caimos para olhar para dentro. O que penso, o se passa dentro de minha mente, o que e como realmente penso sobre mim na vida...

Somos espectadores dos acontecimentos, das circunstâncias.
A verdadeira ação e acontecimentos em nossas vidas nasce da PAZ e da HARMONIA. A ação real nasce da PAZ e HARMONIA, de uma natureza madura, que cresce paulatinamente e não de uma luta cega e sem sentido. Devemos encontrar a mensagem entre linhas, os mistérios das palavras, os mistérios dos espaços não preenchidos, encontrando o propósito em cada coisa em nossas vidas.

Tudo é para o Bem. Pois tudo é fonte Dele, do Criador.

É quando olhamos este bem, é que saímos da amargura do exílio. E quando aumentamos nossa consciência para o Bem, tornamos insuportável a existência do Mal.

Quando mentalizamos esta frase, como uma oração contínua: GAM ZU LE TOVA, vibramos na LUZ e afastamos todo o barulho e perturbação que chega em nossas vidas, pois nos afastamos do Mal. É este o pensamento que está por detrás de todo o sucesso em nossas vidas.

E tudo que nos acontece é para o bem, e também isto que te acontece é para o bem...ter isto em mente transforma s acontecimentos e te coloca no lugar de quem decide para onde vai a sua vida, onde a mente – os pensamentos são a fonte de nossa realidade.
Nós criamos a nossa realidade a cada instante!! Segundo a kabbalah.

Nos momentos difíceis da vida a frase transforma a realidade, através dos nossos olhos, do foco, do ponto de vista.

O segredo desta frase está na morada da Letra TETH, a nona letra do alfabeto hebraico.
Como uma útero, ela nos convida para entrar na dimensão de YESOD, dimensão emocional de nossos sentimentos, nossos impulsos e valores mais internos TETH também é a serpente, que busca erguer-se. TETH é a inicial da palavra TOVA (Bom/Boa/Bem). A serpente que faz parte do Bem, pois só é uma parte dela, de sua desarmonia. Como um vaso que está fora do lugar e parece deixar tudo desajustado!

O Útero, dos 9 meses da gravidez, a fertilidade para quem entra no Útero e renasce através do GAM ZU LE TOVÁ.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Em Busca do Heroi

um salvador para aqueles que se sentem reprimidos e não amados. Longe do olhar de D´us, longe do olhar da sociedade.
Um salvador que seja Messiânico.

Que Messias estamos esperando chegar?

Nesta vida devemos fazer um certo "esforço", uma movimento que vem de dentro para sairmos da condição de "não amados".
Na Kabbalah a palavra Messias, Mashiach significa ungido e tem a mesma guematria que a palavra Nachas - serepente.
Veja como os dois estas proximos, como uma moeda que possui dois lados.
Enquanto a serpente nos leva para baixo o Messias nos ascende, nos acorda! Nos Liberta de uma condição rotineira, robótica.

Uma realidade ainda longe da atual, viver conforme a sua vontade e não a vontade externa! Num despertar da consciencia e do conhecimento mistico.

Um caminho entre o ego e self (si mesmo).
Moises em sua caminhada nos leva para IHVH (Iavé - Nome de D´us), que representa o misterio que exoiste dentro de nós e fora de nós, a Luz, a essência, o que há de transpessoal.

Hoje precisamos nos perguntar que caminhos e instrumentos estamos usando e traçando.
A Kabbalah nos ajuda, mas muito de seus conhecimentos são misteriosos e profundos demais. Sua verdadeira essencia ainda não foi revelada em nossas livrarias e sites.

terça-feira, 8 de junho de 2010


O amor acontece quando encontramos o equilíbrio, o meio termo, a harmonia entre duas forças, pois só assim elas podem se sentir atraídas. Enquanto houver luta entre forças ou energias contrárias não haverá atração, ligação ou amor. Este é o princípio da natureza.
Este centro é conhecido como Tifereth, a beleza. O ponto central da estrutura do universo. A 5 sefirá da Árvore da Vida. Tudo desemboca nele e sai dele. Ele é o Trono do Rei Salomão.
É no coração que começa a nossa jornada de Entender, Sentir e Manifestar.
O coração tem 4 cavidades e a manifestação se dá em 4 etapas, formando 4 mundos ( Emanação, Criação, Formação e Ação). Esta é a realidade. São diferentes mundos que acontecem no UNO, no mesmo ser. E cada ser vive dentro destes 4 mundos.

O amor que podemos conhecer nesta vida é do tamanho que abrimos nosso coração, quanto mais nos entregamos a experiências sem duvidas e julgamentos, apenas no sentir, maior o amor que nos chega.
É preciso coragem para isto. Desejamos, mas temos medo, não nos entregamos, pois reis da verdade, não dobramos nossos joelhos. Nos falta humildae para viver o amor verdadeiro.
E hoje todos queremos um amor individualista.
Mas uma troca verdadeira acontece quando nos entregamos.
ANI LE DODI VE DODI LI

“EU SOU DO MEU AMADO E MEU AMADO É MEU”

Para ser do outro e ter o outro é preciso receber o outro em ti, acolher, transformar uma parte de ti numa outra parte, não da do outro, mas numa nova parte.

Vamos amar, amar de verdade, amar de forma sábia.

Amar de forma verdadeira.
Vamos nos amar para amar o outro e sermos amadas, amados.
E é com este amor que vou...seguindo meu caminho......

domingo, 6 de junho de 2010


Todo o caminho teria um encontro com a dor e o sofrimento. Na busca de entender alguns mistérios que a humanidade carrega e o nosso fatídico caminho de transformação para chegarmos num mundo de maior plenitude.
A nós nos resta passar pela ponto que existe entre o horror e a luz? Yoshua (Jesus) diz: “por que me abandonastes!”. Que terror este momento de solidão e escuridão. Repetimos com freqüência a mesma frase. Com freqüência caímos num mundo sem sentido, sem significado, tomado pelo terror, pelas figuras de “sitra Achará “( o outro lado – o lado do mal).
Onde tu estás D’us? Em seu exílio.
Neste momento temos a oportunidade, quem sabe de crescer, buscar a luz própria.
Se D’us sai...sai tudo, todas as leis, o mal só existe pela falta. Uma falta que nõ suportamos e que não crescemos nela. Fica você e mais nada, mais ninguém...eterna solidão e desamparo. Só resta você!
Moises Cordovero diz que quando D’us mais se oculta é quando mais prepara sua revelação. É preciso vazio e desertos para chamarmos por Ele, sentir sua falta nos move, nos acorda, desperta em nós a nossa parte luz, revolucionaria e messiânica.
Que o horror nos transforma é o que Yoshua nos diz, ao ficar na cruz em sua passagem para a transformação da vida eterna, uma vida plena.
A luz de D’us falta, mas não desaparece, recebemos seu reflexo (or rozer), para depois aceitarmos sua luz direta (or iashar).
E neste luz indireta deveríamos crescer e nos conhecer, conhecer nossa luz, nossas capacidades e merecimentos.
Muitos continuam pequenos e desacordados, vitimas, presos a conseqüência, envoltos nas cascas e no poder do anjo da morte, sem força perecem em sua dor.
Quando vamos nos dar conta de nossa legitimidade, nosso poder e desejo, quando crescer é se tornar adultos para agir. Você depende de você.
Transformar para desejar mais D’us, trazer uma espiritualidade verdadeira, cortar os ciclos de vitimização e violência, cortar o mal que se espalha em nossas mentes como algo natural e normal. Viver nesta condição de escuridão é o normal....até que a dor nos separe em mil pedaços.
Unidade com tudo, unidade é crescimento, é trazer um guerreiro que existe dentro de ti, ver a sua luz, ser e estar luz.

O que é que procuro afinal? Um sinal...uma porta para o infinito...o irreal..... (Lenine)

As energias do mal nos tomam em desistência, desistir de nós mesmos é o primeiro sinal de sair desta caminhada e começar qualquer uma, mas a caminhada para a luz não é qualquer uma, é UMA!

quarta-feira, 2 de junho de 2010



Que Medo temos da palavra PERDÃO?

Mas o PERDÃO aqui é uma palavra chave, uma magia, um estado que devemos nos colocar, que o "mago" coloca-se.
PERDÃO é uma palavra CÓDIGO, que muda em nossas vidas.

Solta os bloqueios, abre os caminhos, permite seguirmos nosso caminho....

então por que tanto medo do PERDÃO?

O curso propoe Entender a mecânica do Perdão
nos conectar com ele
exercitar através de orações e meditações, através de exemplos desta magia.

Conhecer momentos certos para entrarmos dentro das dimensões do DNA espiritual e mudar suas Letras, seus ditos, Mudar nosso Destino.



poucas vagas!

INICIO - 9 DE JUNHO

QUARTA FEIRA ÀS 10h30min


2 meses de curso

R$ 150,00 (alunos da escola possuem desconto)

Jacinto Gomes, 36 sala 305 • Porto Alegre / RS
Fone: (51) 3388.7799 • (51) 9979.4345
Site: www.escoladekabbalah.com
Blog: http://caminhoscabalisticos.blogspot.com

ECLIPSE E A ESCURIDÃO

Voce tem medo do escuro? normalmente temos, normalmente não desejamos situações de escuridão em nossas vidas. A kabbalah nos mostra at...